Postagem em destaque

VOTE AGORA!!! SUPERCAMPEONATO - VOTE AGORA PARA DECIDIR O SUPERCAMPEÃO

VOTE AGORA!!! Tem um título em jogo e você poderá decidir o quem será o supercampeão do Concurso de Enredos 11!!! Confira os 5 e...

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!
Gostou de uma ideia, Clique na lâmpada e leia a nossa recomendação!

sábado, 19 de dezembro de 2015

Os Bastidores da criação - Parte 8 – O corte mais importante

Um dos maiores desafios quando se cria alguma coisa é saber que nem sempre tudo em uma criação poderá ser executado ou concluído. Muitas vezes podemos ter ideias que são completamente inviáveis, no meu caso, eu tenho uma ideia que acho que seria muito legal, mas me custaria muito tempo para executá-la o que me trava e inviabiliza a conclusão final.
Eu não vou ainda dizer do que se trata, mas eu gosto da ideia de apresentar dois enredos em um. Apresentar um enredo dentro de outro enredo. Eu já tinha feito algo parecido em 2003 com Histórias do Ventre da Mãe África em que eu contei a história de Congo e Angola e sob pano de fundo dividi os setores em Eras que eram influenciados por Inkices. A minha ideia com Zizina tinha algo assim, mas era bem mais complexa que revelarei depois do desfile.
Mas eu resolvi que vou deixar apenas Zizina e o pano de fundo vou trazer de maneira mais suave. Eu necessitaria de muita pesquisa e a criação do enredo  para encaixar uma coisa com a outra, Madame Zizina teria que ser coerente para se encaixar com o outro lado. O resultado é que me custaria muito trabalho, se eu não estou conseguindo fazer um enredo inteiro, porque eu vou me meter em tentar fazer algo 2 em 1? O resultado seria uma catástrofe, ou eu não iria terminar nunca ou iria apresentar algo muito confuso e ruim.
É preciso saber desapegar às vezes de coisas mirabolantes, ambicionamos algo tão grandioso que embarramos na simples execução. Sem falar que nem sempre uma ideia pode dar certo, pode ser uma ideia que eu julgo que será legal, dar muito trabalho e nem causar impacto que eu imaginava, talvez até me prejudicasse...

Criação tem disso, nem tudo vai ser sucesso, muitas vezes o que mais apostamos pode dar errado, algo que não apostamos dar certo! Só Deus sabe! E faz parte!

Mas a reflexão desta postagem é simples: "Pé no chão pode ser bom!" E nem tudo criado é fácil de ser executado e muitas vezes no decorrer cortes poderão ser necessários! É preciso saber decidir e não perder tempo demais com coisas que necessariamente podem inviabilizar tudo. 

Os bastidores da criação parte 6 – Os setores

Realmente não é uma coisa fácil, dividir o enredo em capítulos e ter capítulos interessantes.
Um enredo como uma roda, dividida em algumas partes que devem ser iguais e interessantes. 
A divisão de um tema pode ser complexa, nem sempre se consegue ter um determinado número de “tópicos” com força e igualmente proporcionais.
Eu defini desde o começo que eu teria 7 setores, alguns setores já estão certos no meu enredo. Já outros setores podem tanto rolar como serem cortados ou incluídos dentro de algum outro que tenha espaço sobrando e coerente.
A minha maior dúvida é entre os meus setores 1, 6 e 7. Existe a possibilidade de eu unir a ideia que eu tenho nos meus setores 1 e 6, já que são dois pontos que se encaixam na abertura/síntese do enredo que vou querer apresentar de começo.
A ideia do meu setor 6 poderá se encaixar nessas duas posições sem um grande comprometimento cronológico, conforme a posição eu vou mudar o contexto que será inserido. Eu imagino um contexto de consagração, por isso fica para quase o final, já o outro sendo setor de abertura, eu trago a consagração para instigar, abrir largando na abertura: - Como que ela chegou até aqui? Quem seria essa mulher consagrada? E aí depois disso eu começaria a contar a história dela... Seria um tipo de estratégia de mostrar um momento quase que de final, chamar atenção e daí começar a história lá do começo.
Já o meu sétimo setor eu tanto posso ir para algo que represente uma ideia de futuro infinito, como apresentar uma ideia de fechamento pensando em arrematar. Até o momento eu estou com a segunda ideia, mas vez ou outra eu fico pensando em apresentar a primeira ideia. Talvez eu traga um setor bônus para ser revelado depois dos desfiles... (Um tipo de final alternativo) Hhehehe!
E veja só, escrevendo isso pintou essa ideia, já pensou um enredo com final alternativo? Modernidade! Tem muitos filmes, séries, livros que apresentam um final alternativo... Quem sabe eu não tento fazer isso? Vou pensar...
Optei por não revelar ainda os meus setores, algumas pistas eu já dei.
Quais seriam os setores mais importantes no enredo?
Conforme a cidade e número de alegorias isso pode mudar, mas os setores mais importantes em geral são:
- O primeiro setor - É a abertura, é bom começar bem, pegar quem está assistindo já de largada. A primeira impressão é muito importante. (SETOR MAIS IMPORTANTE)
- Setor do meio - Onde fica a bateria, geralmente é um setor bastante valorizado. Também é  o ponto em que as escolas estão inteiras da na pista, pode ser o momento para arrebatar de vez e ser campeão. (TERCEIRO MAIS IMPORTANTE)
- Último setor - É o "grand finale", não dá para se descuidar, é a hora de "lacrar". É importante terminar bem, o jurado está fechando a nota, o público ali se perguntando vai ganhar ou não vai? (SEGUNDO MAIS IMPORTANTE)
E qual seria o menos importante? Geralmente seria o penúltimo, é normal as escolas investirem mais em uma ordem dos setores e nos estratégicos último e setor do meio, já o penúltimo seria aquele que fica por último. Geralmente também é mais fácil errar a mão nele, vc já teve outros setores para vender uma ótima impressão, dá uma caidinha nele e depois limpa a barra com o último setor. Isso também valeria para enredistas, pode crer se deixar um furo no penultimo setor as chances são menores de ser despontuado, do que se errar no primeiro ou no último. Fica a dica! 

Os bastidores da criação - Parte 7 - E a cronologia?

Voltando a falar em cronologia, não é um assunto muito fácil. E nem todo o enredo tem que ser passado em uma linha do tempo exata e perfeita, tudo depende do tipo de divisão que foi estabelecida. Será a divisão estabelecida que deverá dizer se a questão cronológica do enredo deverá ser levada muito em conta ou pouco em conta. O principal também é respeitar e contar algo com sentido, eu posso ir para frente e para trás e contar um história, claro que não posso exagerar nessas passagens... Eu não posso ser confuso e nem caótico. E até se a minha proposta for propositalmente caótica eu terei que guiar o leitor de alguma maneira para esse caos ter algum significado...

Mas onde eu quero chegar, é que é bom lembrar que muitas divisões não são cronológicas, por tanto, não deve respeitar uma linha perfeita de tempo. Se você fala de um cantor e divide o tema em tipos de canções e fala em cada setor de temas dessas canções, por exemplo, canções românticas, canções ecológicas, não vai ter que seguir uma linha perfeita de tempo, seu enredo não é cronológico. Por isso, não será um pecado apresentar uma ala de uma canção ecológica que foi composta em 1992 antes de uma canção romântica que foi composta em 1996 que está em outro setor. O que eu recomendaria neste caso é respeitar a cronologia dentro do setor, ou seja, não botar no mesmo setor um ala de 1984 depois de uma de 1994.
É importante no geral o jurado entender porque cada ala estar ali, ter um sentido daquilo estar “ali e não lá”. E a história ter uma sequência lógica e em lógica não existe apenas a sequencia 1, 2, 3, 4, 5, 6... Ela pode ser variável... Vai do padrão que o autor do enredo estabeleceu, ou seja, da proposta que ele fez de contar essa história. Se o enredo não é histórico ele não obedece um padrão simples de cronologia e PONTO!
Cronologia dos setores
No momento de analisar a cronologia de um setor, em alguns casos, talvez seja mais coerente prestar atenção nos setores. No caso citado antes, vamos imaginar que o determinado cantor começou a fazer sucesso com canções românticas, exatamente por isso o setor das canções românticas veio na frente. Já o setor das canções ecológicas vem atrás, por ser uma temática mais atual, ele no caso começou a fazer sucesso só nos anos 90 com canções ecológicas, por tanto é fácil justificar as canções românticas antes das canções ecológicas. Enquanto a primeira canção romântica desse cantor é de 1965, a ecológica é de 1994, mesmo que ele tenha um sucesso romântico em 2010, não vejo grandes problemas de contar essa história. E a ala de 2010 aparecer antes da ala de 1994, a questão é que a ala de 2010 é a última ala do setor 2, o das canções românticas e a ala de 1994 é a primeira ala do setor 4, o setor das canções ecológicas. Simples!
E tem brechas nisso, as vezes os carros podem trazer as canções mais importantes por ter maior impacto, assim podemos na história que está sendo contada ver um música de 70 depois de uma música de 1996. E de se entender se o autor do enredo optou em dar o carro para o maior sucesso do cantor. Assim como alterar a ordem dos setores organizando por importância, é normal os setores mais importantes serem o PRIMEIRO, ÚLTIMO e o setor da metade do desfile (que pega bateria e ponto que a escola supostamente está inteira na avenida). 
Também é notável que nestes casos pode ser bom não ficar exageradamente citando datas se você não apresenta um tema cronológico. Não se deve ficar chamando atenção demais para algo que não é importante no seu enredo. 

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

O Nono Concurso de enredos já tem 9 enredos

Faltam pouco menos de 2 meses para o 17 de janeiro, data que marca o final do prazo para entrega.

Se você tem enredo pode entregar! Se você ainda quer fazer o seu enredo, ainda pode começar que tem um bom tempo para terminar e entregar.


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Os bastidores da criação - Parte 5 – O que começar primeiro?

É difícil escolher o que começar primeiro. Sinopse? Roteiro? Introdução?
Para quem já acompanha conversas no grupo isso não é novidade, digo já de começo que Introdução e título final do enredo deverão ser as últimas coisas, eu posso até ter um título prévio, uma introdução prévia. Mas quando terminar o enredo é que devo finalizar. É bem comum os autores começarem por título e introdução, mas vão fazendo o enredo e vão mudando, vão sem perceber fugindo daquela ideia principal. Aí o enredo começa com uma proposta e termina com outra. Por isso, seja qual for o seu enredo, depois de terminado olhe se o seu título está coerente e se a sua introdução de fato cumpriu o que foi anunciado. 
Agora falando do meu enredo:
A minha proposta de enredo inicial é falar da vida dela e sob pano de fundo tratar de todas as temáticas que ela envolve. Desde a menina deficiente, passando pela  ocultista, a cartomante, a celebridade, até chegar na sua morte.
Com base nisso, a primeira coisa que devo fazer é um esboço de texto para me guiar. Vou escrever nesse texto todas passagens da vida da homenageada. Será a história base que eu vou contar.
Depois vou tentar ver como que posicionarei os meus setores, os capítulos e os tópicos que vou abordar desse enredo.
Fazer primeiro a sinopse ou Alegorias e Alas?
Eu penso em fazer uma boa parte da sinopse, depois ir para o roteiro, voltar para a sinopse, e voltar para o roteiro. No final ir fazendo uma coisa aqui e outra ali, mexendo e deixando os dois mais ou menos iguais.
Conforme o que eu ir inventando vou ter que encontrar um correspondente do outro lado.
E não posso esquecer!!!! Ambos precisam estar em ordem! Não dá para aceitar que na minha sinopse o setor 3 vem antes do setor 2. Isso deixa o leitor perdido, pode acarretar problema de cronologia. Uma sinopse também gera um samba de enredo, se eu inverter o samba da minha escola também estará invertido. 
Por isso é mais um motivo para impendente do texto que eu faço primeiro, reparos serão necessários para reduzir a chance de eu me contradizer, ou em vez de contar uma história igual eu acabe contando duas histórias diferentes ou contraditórias. 
Divirtam-se com uma piada janeiro de 1912. É esse texto é velharia pura, tem mais de 100 anos!





Os bastidores da criação: parte 4 “quase começando”.

Parte 4 – Quase começando
Eu escrevi esse texto faz muito tempo, mas esqueci de publicar. No momento que eu publico isso, eu já comecei o enredo faz muito tempo. Mas decidi, neste capitulo falar do momento que estava prestes a começar a botar a mão na massa. 
Como disse na parte anterior:
Esse meu enredo será muito psicológico, emocional, lidar com pontos de filosofia, lições de vida, destino, acaso, profecias, tragédias... Se acerto a mão é um show, mas se erro a mão...
Madame Zizina era uma cartomante que era deficiente física. Ela era corcunda, de estranho aspecto, mas que devido a pura superstição, começou a ser tratada como um espírito de luz, sua corcunda como ponto de poderes mágicos, podendo realizar pedidos...  E o fato dela se transformar em vidente e cartomante irá me colocar no mundo do ocultismo, irei tratar de passado, presente, futuro... Misturando tudo isso abordarei mesmo que superficialmente coisas como destino, missão na terra, karma... Ainda mais que tem carnaval, ela desfilava, foi tema de Grandes Sociedades, entre outros pontos que não vou me estender muito... Vai ser uma salada! Essa salada tem potencial para ser gostosa, mas se eu não for criativo, não conseguir utilizar dos meus cartuchos nos melhores momentos, vai dar problema. Eu precisarei fazer todo um encadeamento das ideias, organizar nos “capítulos”, os pontos de abordagens desses sub-temas e significados..
Isso não é algo fácil, construir um enredo que deverá ser fiel a vida da homenageada, achar pontos interessantes, ligar esses pontos, manter uma linha cronológica e sem esquecer que preciso adaptar tudo isso para o carnaval. Não estou escrevendo uma biografia, nem uma redação, vou fazer um enredo de escola de samba, pensar no potencial visual e artístico do que estou trazendo. 

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Esta postagem foi escrita pensando em receber que está chegando no Concurso de Enredos

Antes de qualquer coisa sinta-se em casa. Este concurso é aberto a todos. Todos que quiserem podem participar sem restrições.
Dúvidas você pode perguntar sempre que desejar enviando e-mail para abacateazul@yahoo.com.br
OU postando no Grupo de Facebookhttps://www.facebook.com/groups/280416798788627
Dúvidas tiradas nesta postagem:
1 Como começar? Como fazer um enredo? Tem modelo?
2. Como participar?
3. O que precisa para participar? Como se inscrever?
4. Quando eu posso enviar o meu enredo?
5. Eu posso participar com mais de um enredo? Sim! 
6. Quais são as regras do Concurso?
7. O que deve conter no texto do enredo?
8. Diferenças entre o Concurso de Enredos e o Carnaval de LIESV, CAESV, Virtua Folia entre outras.
Diferença básica entre Concurso de Enredos e Carnaval Virtual:
9.  Precisa de escola de samba virtual?
10. Se eu participar do Concurso de Enredos eu posso participar de outro lugar? 11. O enredo precisa ser inédito? 12. Mas o enredo do fulano foi 10 e foi campeão do carnaval virtual, não é uma covardia comigo?
13. Eu posso colocar destaque pessoas famosas que eu queria desfilando na minha escola?
14. Eu posso falar de um tema que já foi apresentado por uma escola de samba como Guiné Equatorial, Comida Mineira, Rio de Janeiro, Suiça, entre outros?

15. Eu posso escrever o enredo pensando em uma escola real?

1. Eu não sei como começar, o que fazer?
Veja exemplos de enredos já apresentados no concurso. Dê uma olhada no formato para se inspirar:
Clique e confira: 
2. Como participar?
O Concurso Brasileiro de Enredos é um concurso aberto a todos, todos podem participar, sendo de qualquer região do país ou do mundo. Você está convidado a botar no word as suas ideias e partilhar conosco os seus sonhos.

3. O que precisa para participar? Como se inscrever?
Criar um enredo, escrevendo um texto em Word (ou editor de texto compatível) e enviar para o e-mail: abacateazul@yahoo.com.br

4. Quando eu posso enviar o meu enredo?
Terminou o seu enredo, pode enviar em qualquer data! Sempre aceitamos enredo, mesmo no final de prazo de entrega terminado de um concurso nós já começamos o concurso seguinte. Nós não paramos!
Até 17 janeiro é data para o NONO CONCURSO.
Dia 18 de janeiro até 18 de Julho é DÉCIMO CONCURSO!

5. Eu posso participar com mais de um enredo? Sim! Um mesmo autor pode participar com até 3 enredos por concurso. Entregando um 4º enredo, este passa a ser automaticamente inscrito no Concurso seguinte. O enredo não precisa ser inédito, você ter disputado este enredo no carnaval real ou virtual , já que aqui os quesitos são diferentes, o foco é no enredo, no texto, com 7 quesitos.

6. Quais são as regras do Concurso?
Como somos um concurso temos regras que podem ser conferidas no regulamento ou em versões antigas deste, mas o não cumprimento dessas regras pelos autores apenas acarretará em descontos de pontos antes da apuração, nenhum enredo será desclassificado, salvo em situações extremas.

7. O que deve conter no texto do enredo?
Nós somos um concurso com formato próprio e independente, temos um formato que visamos como o melhor para a análise dos enredos que estão em um concurso. Nosso formato é simples e flexível, o autor deve apresentar no texto do seu enredo:
Título - o nome do seu enredo
Texto de Introdução - A função deste texto no concurso é convencer quem estiver lendo se interessar por ele. É esperado um texto curto, apresentando o enredo, dizendo do que se trata, o que será visto, dando uma rápida amostra do que podemos esperar desse enredo.
Sinopse ou Argumento - É o texto que contará o enredo poderá ser resumido ou não, mas deve conter tudo que pretende expor.
Roteiro do enredo – Após a sinopse ou argumento apresentar uma explicação inicial para os setores separadamente (com nome e resumo de cada setor) e apresentar nome e número para alas e carros. Não será obrigatória a explicação de cada ala e de cada carro. Ficando a critério do autor (espera-se que o texto do enredo cumpra essa função). Entre as alas é obrigatório: comissão de Frente, um Casal de Mestre Sala e Porta Bandeira, Ala de Baianas, Bateria e Velha Guarda. Também é sugerida uma ala infantil e uma ala de passistas. Todos os carros e  alas devem ter um significado no enredo.
Ex: Velha Guarda - Ala 30 – Dando a volta por cima
Fechando a escola, a velha guarda comemora a volta por cima do país... Trazendo bandeiras do Brasil na mão, mostrando nosso sentimento de Patriotismo.
Carros Alegóricos e número de setores – O número de setores é ilimitado, assim como o de tripés. É limitado apenas o número de carros que deve ser entre 1 e 12 carros(esse grande número variante para sermos receptivos com todos os tipos de enredos).
Enredos projetados pensando em escolas do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Enredos visando escolas do Grupo de Acesso ou Carnaval de São Paulo. Escolas virtuais e escolas de outras cidades. Cada campeonato tem limitação diferente de carros que fazem com que neste concurso não exista um padrão fixo do número de carros.
Recentemente até para dar uma resposta ao crescente engessamento do carnaval real, aumentamos o limite de alegorias. Como temos a proposta de ser uma feira de ideias, em vez de seguir a Liesa e reduzir também a nossa limite de alegorias, optamos por aumentar e deixar mais flexível para que desejar criar fazer o que bem entender. Se quer fazer escola com 12 carros ou 1 carro apenas, está livre para fazer e expor a sua arte.
Tamanho do arquivo: Não poderá exceder 5 MB.
Assinatura: No mínimo é exigido nome identificação (apelido, nome fictício ou verdadeiro) e e-mail para contato (depois do título ou no final do enredo). Não esqueça que um carnavalesco, um presidente de escola, alguém pode ler e se interessar pelo seu enredo. Então não esqueça de deixar um contato.
Fontes – É livre, cores, tamanhos, letras, espaçamento, o que se espera é um texto bem apresentado, bom para ler, fácil de entender.
Imagens - É facultativo. Sugerimos que o enredo tenha imagens, mas isso é só uma questão de embalagem. E atenção para o tamanho do arquivo (5mb é o limite).
Referências – Elas não são obrigatórias, mas sugerimos que o autor apresente-as.
Normas da língua portuguesa – Não somos um concurso de redação, esperamos que os enredos apresentados sejam bem compreendidos, erros leves são perdoados. Perderá nota o que comprometer o entendimento e em casos de erros graves.
Ex: “A saga de Eliz rejina uma grandi contora”. Sem chance, vai perder nota e muita.

8. Diferenças entre o Concurso de Enredos e o Carnaval de LIESV, CAESV, Virtua Folia entre outras.
Diferença básica entre Concurso de Enredos e Carnaval Virtual:

Uma escola virtual exige samba, desenhos de figurinos, alegorias, o Concurso de Enredos exige apenas enredo, não precisa saber desenhar, não precisa de arquivo de áudio para desfile, não precisa de toda uma equipe para fazer um carnaval. Uma única pessoa pode pegar e escrever o seu enredo.
Também não exigimos cargos e outras particularidades. A única exigência é que no texto do enredo tenha uma assinatura, sendo podendo ser ela até anônima. Mas no momento que a pesso expões a sua ideia, deixe uma porta para contato.

9.  Precisa de escola de samba virtual?
Não, pode vir com uma escola de samba virtual se você desejar, mas não é uma obrigatoriedade e nunca será.  

10. Se eu participar do Concurso de Enredos eu posso participar de outro lugar?
Claro que pode participar de outro lugar. Não somos uma Liga, nossa proposta é totalmente diferente, não pretendemos ser grupos fechados e exclusivos. Aqui participa quem quer e não impedimos a participação da pessoa em nenhum outro lugar. 
Sem esquecer que somos enredo! Apresentação de ideias, nada impede que alguém que dispute o Concurso vá depois colocar o seu enredo em uma escola do carnaval virtual ou Real. Assim como caminho inverso também pode ser feito como veremos na próxima questão.

11. O enredo precisa ser inédito?
Também não, para participar do Concurso de Enredos não temos nenhuma objeção. Não exigimos exclusividade. O Concurso de Enredos é aberto para a participação de todos, um autor pode ter disputado o carnaval virtual com o seu enredo e vir disputar o Concurso de Enredos. A única observação que fazemos que é o nosso regulamento é diferente, as exigências são diferentes.
No Concurso de Enredos não existe desfile de desenho de alegorias e fantasias. Nosso desfile é de texto, podendo o autor recorrer a ilustrações (fotos, colorir o texto, exibir logo), mas o nosso foco é no texto do enredo. Enquanto no carnaval virtual enredo é apenas um quesito. No Concurso Brasileiro de Enredos enredo é analisado de maneira esmiuçada, são 7 os quesitos analisando o enredo por diferentes pontos.

12. Mas o enredo do fulano foi 10 e foi campeão do carnaval virtual, não é uma covardia comigo?
Não, porque novamente repetimos, aqui o regulamento é diferente. É muito mais difícil ser nota 10 no Concurso de Enredos do que no carnaval virtual ou até no real. Muitos enredos nota 10 na LIESA, não ficariam nem entre os 10 primeiros de muito concurso de enredos.

13. Eu posso colocar destaque pessoas famosas que eu queria desfilando na minha escola?
Pode, permitimos isso. Só cuidado para não trazer pessoas que já morreram ou que não existem, essas pessoas ou personagens no caso devem aparecer com atores representando, usando mascaras, hologramas, esculturas. Pois senão a moda pega, vão trazer Napoleão, Dom Pedro I, Princesa Isabel em “carne e osso” para o desfile como Rainha de Bateria. Não tem sentido propostas como essa, devem ser atores, esculturas, jamais como algo de “carne e osso”.

14. Eu posso falar de um tema que já foi apresentado por uma escola de samba como Guiné Equatorial, Comida Mineira, Rio de Janeiro, Suiça, entre outros?
Pode, é importante destacar que estamos falando de “tema enredo”, enredo é a história que você vai contar. Um mesmo tema enredo pode dar origem a diversos enredos. Então não tem problema nenhum de abordar um tema enredo que já foi tratado. Só recomendamos que você capriche, traga algo que surpreenda os jurados.

15. Eu posso escrever o enredo pensando em uma escola real?
Pode, deixamos isso totalmente livre. 


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

DONA ZICA QUARTO CONCURSO DE ENREDOS


Melhor EnredoApresentaçãoTítuloPesquisaTema 
CocagneCocagneFCavalcantiAfraCharge/A Terra
AfraA TerraA TerraCocagneKhmeres
Charge
 AfraRevoltasChargeTambores

I VisualArgumentoIntroduçãoP Evolução e HarmoniaCarnavalização
CocagneA TerraAfraCocagneCocagne
A TerraCocagneA TerraCalungaCharge
Voz do Povo
AfraCalungaA TerraCalunga

DesenvolvimentoEnredo HistóricoExploração TemáticaEnredo Que dá SambaHomenagem
Voz do Povo/CalungaEstrada/Voz do Povo/ A Terra / AfraSampa/KhmeresCalunga/ASagaCharge/FCavalcanti
ChargeHansCalungaA TerraHans
CocagneRespostasCocagneCocagne-

Participante q+ EvoluiuRevelaçãoTema OriginalEnredo IrreverenteEnredo Ousadia
Diego MarmoLuis LoboChargeF CavalcantiAfra
Taty CondorFelipe MocidadeA Terra Expulsos/Circo
Marcos CoutoRodrigo (Gaúcho)Cidades Respostas

Tema Cidades EstadosEcológicoTema AfroTema IndigenaAutor
SampaEstradaCalunga/AfraKhmeresImperial
EstradaHansTamboresHansDiego Gardoni
A TerraKhmeresIoruba Marcos Couto

Enredo Sobre CarnavalEnredo Mais Votado no siteEnredo mais visitadono site.Enredo inicianteArgumentoTema
Desenvolvimento.
Iniciante.
SagaExpulsosCocagneSitio.São 3 categorias e nas 3 os Vencedores foram os mesmos.
 CocagneCalungaSão Paulo.Sitio
 CalungaA Terra São Paulo.

Especiais:
Prêmio para os enredos ESPECIAIS.
Que se destacaram, que fizeram história nos CONCURSO DE ENREDOS.
A coragem de AFRA.
O Tema original de CHARGE.
Os Temas bastante explorados e por isso desafiadores dos enredos SAMPA, SÃO PAULO E KHMERES.
O enredo moderno ESTRADAS.
E belo conjunto do enredo CALUNGA.
1

terça-feira, 20 de outubro de 2015

PREMIAÇÃO OITAVO CONCURSO

CAMPEÃO OITAVO CONCURSO








CEREJA DO BOLO - SEGUNDO LUGAR




OUTDOOR - TERCEIRO LUGAR

REDE DE DORMIR - QUARTO LUGAR





MEDO - QUINTO LUGAR

PREMIAÇÃO SÉTIMO CONCURSO - ARTES DOS ENREDOS

TREZE CAMPEÃO


EXLIBRIS CAMPEÃO

MUSSUM VICE

RESTOS E SOBRAS VICE

COBRAS VICE




 CERRADO - TERCEIRO LUGAR



QUINTO LUGAR - LÁGRIMAS - ALTERNATIVA RIO AMAZONAS


SEXTO LUGAR - SÉCULO


OUTROS PREMIADOS - POR HERANÇA:



AUTOR PREMIADO POR ALCIONE, MAS TROCA POR LUA CHEIA



Premiação dos enredos Sexto Concurso - Artes dos Enredos






ADA - ENREDO CAMPEÃO 
GRITO - ENREDO VICE-CAMPEÃO




XAMÃS - ENREDO TERCEIRO COLOCADO




HOMEM NO ESPELHO - ENREDO QUARTO COLOCADO

ENREDO TRIBUTOS - QUINTO COLOCADO
PREMIAÇÃO ALTERNATIVA - TROCOU POR DETETIVES QUINTO CONCURSO - TERCEIRO LUGAR 

 ENREDO SORRISO - QUINTO LUGAR 

ENREDO SEXTO LUGAR


OITAVO LUGAR

HERANÇA DE PREMIAÇÃO:
SUSANA SOBERANA - TROCA POR PREMIAÇÃO PARA BRUNA SURFISTINHA



CAMPEÃO APURAÇÃO PARALELA:




Arte do enredo - Premiado QUINTO CONCURSO


Marcadores