Postagem em destaque

VOTE AGORA!!! SUPERCAMPEONATO - VOTE AGORA PARA DECIDIR O SUPERCAMPEÃO

VOTE AGORA!!! Tem um título em jogo e você poderá decidir o quem será o supercampeão do Concurso de Enredos 11!!! Confira os 5 e...

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!
Gostou de uma ideia, Clique na lâmpada e leia a nossa recomendação!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Todas as justificativas

Clique no nome do jurado e veja as suas justificativas.

Marcelo PTavares   Icaro Volpato
Renio Ramos     Jaqueline
Eric Augusto   Marcos Maia

Pontos polêmicos de um enredo

O que a organização recomenda é tem polêmica, acha que o jurado não vai entender? Coloque uma nota explicativa, uma observação fora do texto.

Enredo Laranja Mecânica, é um bom enredo, mas difícil de entender.. Carece de uma sinopse bem completa e bem explicada para nos ajudar para entrar nesse enredo muito doido, cabeça demais...

Polêmicas e temas polêmicos
Se é uma temática, vai falar por exemplo de SEXO. Defenda o seu ponto de vista na sinopse ou introdução. Já é obrigatório a presença de introdução para o enredista ter a chance de apresentar e defender o seu enredo, escapar dessas armadinhas. Pois é fato, se o jurado não entende ele tira ponto. Tudo que soar sem explicação, pouco convincente, vai ter perda de nota. 

E você também tem a sinopse para isso. O enredista precisa ficar atento, se mete em confusão precisa sair dela de alguma maneira. Use o seu texto para defender seu ponto de vista. Não caia na armadilha de escrever unicamente uns versinhos inspirados em sinopse de escolas de samba do Rio (texto feito para os compositores de samba e não jurados que julgam o enredo). Mire-se no Abre-alas da Liesa, o argumento dos desfiles que são entregues para os jurados, ou até, nos enredos Campeões deste concurso. Se quer poesia, faça dois textos. Mas por tudo neste mundo, não esqueça de explicar os pontos importantes do seu enredo.

Os jurados não são obrigados a entender os enredos, os enredistas é que precisam explicar o seu enredo para os jurados. 

Se eu quiser fazer um enredo que Cachorro é um tipo de peixe, eu posso! Desde que eu consiga provar com argumentos, mostrar pesquisa e embasamento teórico que comprovem isso, ou que pelo menos, convença os jurados.

Carnavais feitos para cidades pequenas, para São Paulo e etc...

Esse é outro assunto que merece observações. A organização recomenda que o enredista avise que seu desenvolvimento é feito pensando no Carnaval de São Paulo, cidade pequena ou escola virtual. Alerte o jurado, avise o jurado que por exemplo, em sampa a bateria vem no setor 1. Senão você está propenso a perder nota. Os jurados julgam com os olhos de carnaval do rio, até os jurados paulistas que eu já tive em concurso canetam os enredos paulistas.

Mesmo caso vale para escolas de cidades pequenas, diga como é o carnaval da sua cidade. Oriente os jurados para evitar que uma pequena coisa lhe tire pontos preciosos.

Como fazer isso? Coloque um texto de observação, no desenvolvimento. Até na explicação da bateria, coloque. obs: A posição da bateria é pensando no carnaval de São Paulo. O número de alas é formato do carnaval de São Paulo... Etc...







Enredo sem desenvolvimento

Este é um comunicado importante.

A principio a regra do concurso é: Enredo sem desenvolvimento nota 7 no quesito. Mas se um jurado bonzinho der 9, 8, isto também é bem recebido pela organização.

Nos demais quesitos ele entra com 10 e pode ser 10. Recomendamos e vamos destacar ainda mais para os jurados do SEXTO CONCURSO: -Enredo incompleto procurar julgar pelo que foi apresentado. Recordamos que  um enredo sem desenvolvimento tem 15 pontos perdidos na Comissão de Obrigatoriedades, ou seja, já é um enredo eliminado, sem chance de título, ele fica em uma disputa a parte ele e os iguais a ele. Não será um 9,9 que vai fazer dele um campeão, nem décimo lugar ele tem chance, tanto que os dois enredos que não apresentaram desenvolvimento ficaram lá pra trás. Então não tem justificativa esse desejo de massacre que uns queriam. 

Pq essa recepção com esses enredos? A proposta do concurso é receber e julgar todos, queremos e vamos sugerir que os jurados não penalizem simplesmente, não tem desenvolvimento a nota em Exploração temática é 7 tb e ponto. Não, queremos que mesmo sem desenvolvimento, o julgador olhe a sinopse e dê uma nota pela sinopse.

Queremos que os julgadores recebam esses enredos e avaliem com base no que foi apresentado. O concurso também é participação, um enredo sem sinopse pode entrar e as justificativas valem muito para os enredistas.

E não se preocupem matematicamente um enredo sem sinopse, mesmo com muito boa vontade dos jurados não deve passar de 270 pontos. Então deixem esses malandros botarem o bloco deles na rua, eles não tem chance de título.

Comunicado

O concurso levando em conta resultado final está satisfeito, ganhou os enredos que tinham que ganhar.

A classificação no geral foi muito boa, não temos muito o que lamentar de injustiças quanto a classificação final. E teremos a semana inteira para debater sobre tudo que aconteceu. Opine, participe, ajude a construir um espaço melhor.

Este concurso é ABERTO A TODOS, agradar a todos é impossível, mas quem estiver presente fará viva a sua participação, mesmo como voto vencido. Muitas vezes um voto vencido não muda um concurso, mas pode sim lá pra frente mudar, pois ele pode se juntar com outros votos vencidos e ganhar força e representatividade...

NÃO PERCA!
SEXTA-FEIRA - A NOITE DOS QUE NÃO FORAM
SÁBADO - DESFILE DOS CAMPEÕES - COM OS 8 ENREDOS PRIMEIROS COLOCADOS.

Todas as justificativas no site

Lembrando que os jurados ainda podem fornecer justificativas extras, notas é que não podem ser mudadas.

Aos participantes aceito sugestões e todo o tipo de opinião sobre os jurados: abacateazul@yahoo.com.br

Não será um participante que impugnará um jurado, vamos analisar cada caso e o conjunto do julgamento em si. E por isso, sua opinião sobre os jurados é vital para o concurso. Se manifeste de todas as maneiras para nos ajudar para construir um concurso melhor. 

Julgar não é fácil, a organização também tem consciência que jurado é humano e ele também pode errar.
Nos próximos dias a organização do concurso vai se debruçar sobre as justificativas, opiniões sobre os enredos, regulamento para ter sempre um concurso melhor. 

O concurso está e estará sempre em construção, adaptação, nosso regulamento não é fixo, nós também procuramos crescer com os concursos procurando a perfeição, mas também temos consciência que perfeição não existe. E muitas coisa boas que queremos realizar, na prática podem enfrentar desafios. 



Julgador Marcos Maia

Julg.enredos



LARANJA MECÂNICA

Apresentação: 9,8
Título (0,9) – não-criativo, simples transcrição da obra, e frio, sem sequer o artigo “a” no início.
Introdução ( 1,0)
Impressão visual (0,9) – tiro 1 décimo pela extrema simplicidade.

Explicação:  9,1
A sinopse não cumpre o seu papel primordial, que é o de dissecar o enredo, esclarecer-nos o que veríamos no desfile. Ela é curta, enigmática e setorizada, como se já fosse uma suposta divisão de setores, sem nenhuma explicação.   Começa já misterioso com “século XXI ou caminho para a iluminação?”, ou seja, altamente confuso. O 2° parágrafo é a única coisa instigante, esclarecedora sobre o enredo, mas é só ele, e logo após , a enumeração pura e simples das supostas partes do tema, e mais nada.   No desenvolvimento a seguir, é que veremos as representações do enredo, mas estas deviam estar presentes também na Explicação.  A impressão que se tem é que o autor imagina que tal obra foi lida, ou vista, por todos nós e que não carece de pormenores.

Desenvolvimento:  8,8
Baianas retratando a ultraviolência, com revólveres, denota pouco conhecimento do significado de uma Ala de Baianas;   Problemas nas representações e encadeamento lógico dos primeiros setores – alas 2 e 4 deveriam vir vizinhas, pois falam de bombas, e não separadas por outra sobre vírus de computador;  No 3° setor, mesmo problema exposto acima – uma ala entre 2 outras que seriam uma “continuação” uma da outra (5 e 8); A seguir, o autor esquece de enumerar o que seriam o 4° e o 5° setores e seus significados;  A Bateria vindo de mágicos não dá uma correlação de sentido do que pretende o setor do desfile ( sobre “controle” das pessoas);  No último setor, o autor simplesmente abdica de explicar as fantasias e a última alegoria, apenas dá seus títulos, chegando ao ápice do principal problema desse Desenvolvimento: falta de detalhamento, de visualização do enredo.  Tal como na Explicação, parece ter havido uma certa preguiça por parte do autor.


Tema e Exploração Temática:  9,5
Uma boa ideia mal realizada. Esse é o resumo dessa justificativa. A tentativa de trazer elementos da obra Laranja Mecânica para os dias atuais é ousada e interessante. Infelizmente, porém, muito pouca exitosa nas explanações da Explicação e do Desenvolvimento. Faltaram elementos,  faltou clareza, faltou sobretudo a mesma criatividade que o autor teve ao bolar esse Enredo.

Enredo:  9,5
Muitas falhas e lacunas na explanação do enredo, na Explicação e no Desenvolvimento, impossibilitaram uma melhor apreciação do que foi proposto pelo autor. Neste último, em si, vimos um “desfile” curto, com muito poucas alas, mal explicadas, e alegorias com ideias interessantes , embora também pudessem ter mais detalhes.  A conclusão é a mesma já dita no quesito anterior: uma boa ideia mal realizada.




VEM , PODE ACREDITAR... AQUI NÃO ÉS PROIBIDO SONHAR

Apresentação:  8,5
Título (0,9) – embora a correção gramatical não seja tão exigida, o título soa esquisito, no sentido de que o mais correto seria “não és proibido A sonhar”.
Introdução ( 0,0) – os autores não apresentaram Introdução.
Impressão Visual ( 0,6) – há simplesmente a apresentação do título em caixa alta, sem nenhum outro realce..além disso, ele passa uma ideia de curiosidade, e ausência de pontuação ( como uma exclamação) contrasta com isso.





Explicação:  9,7
Os autores apresentaram um texto mal escrito, dividido em dezenas de parágrafos desnecessários, com muitos erros de digitação, pontuação, dentre outros...denotando um grande desleixo ao divulgar seu enredo, pois mostra que sequer  tentaram fazer um revisão.  Mas as regras desse julgamento são claras quanto a punir com parcimônia essas coisas, então o desconto aqui feito é pequeno, embasado sobretudo porque esta forma de escrita não favorece um claro entendimento das partes do enredo. No entanto, isso é mais ou menos sanado pela clareza deste, vê-se razoavelmente bem o caminho que os autores desejam seguir.

Desenvolvimento:  9,5
O abre-alas tem uma sobreposição de elementos distintos ( sonho de ser super-herói, sonho de ser jogador de futebol, sonho de ser astronauta), o que dificulta sua visualização essencialmente naquilo que pensamos de um abre-alas, que é uma harmonia de diversos elementos, mas de mesmo tema, por assim dizer..caso os autores tivessem lançado mão de um acoplamento, esses vários “sonhos” diferentes poderiam se harmonizar melhor, sem grande confusão; Alas dos sonhos de “divas” das meninas de difícil representação, exceto no elemento alegórico, inteligentemente utilizado pra separar dos sonhos dos meninos; No 4° setor, sobre os sonhos da humanidade em geral, a Bateria vem de guerreiros representando os brasileiros, o que sai um pouco da proposta generalizante que se vinha apresentando;  No 5° setor,  alas 18 ( de flores) e 20 ( do verde) representam basicamente o mesmo: a flora..mas entre as duas há uma ala sobre a fauna, uma pequena quebra, portanto; No 6° setor, ala 24 “todos aos seus pés” , que seriam pessoas aos pés dos ricos, há uma estranheza de imaginar como isso poderia ser traduzido..os autores podiam ter explicado melhor; No último setor, justamente sobre os Carnavais, os autores se limitaram a dizer que desfile cada ala representa, mas faltou descrever como seria minimamente a fantasia destas. Curiosamente, os autores optaram nesse “desfile”, em fazer os carros alegóricos como abrindo cada setor, e não as alas, como geralmente ocorre e é mais indicado. Porém, penso ser um recurso válido também, e que foge do lugar-comum.

Tema e Exploração Temática:  9,7
O sonho é um grande mote carnavalesco, pois há muito o que ser explorado, e os autores conseguiram fazê-lo razoavelmente bem. No decorrer de seu desenvolvimento, porém, houve uma certa impropriedade em colocar os setores dos sonhos e as lutas dos brasileiros e da humanidade vindo antes dos sonhos “egoístas”, por assim dizer, de riqueza material. Embora possa ser considerado como livre criação dos autores ( até porque o enredo não é cronológico), isso não é artisticamente harmonioso, pois no decorrer de um desfile,  procura-se haver um crescente de emoção e importância, e portanto os desejos egoístas “deveriam” vir antes do que seriam os desejos do bem comum, que os superariam.  Além dessa questão mais ampla e subjetiva, vimos algumas alas repetitivas, como da riqueza e do dinheiro e do verde e das flores.  No geral, os autores conseguiram atingir seu intento de povoar bem um desfile com seu tema.

Enredo:  9,8
No conjunto, um bom enredo, com alguns percalços de desenvolvimento e sequência, mas bem realizado, sem ser muito detalhado nem sem ser genial.   A facilidade de absorção e identificação do tema ajuda no seu julgamento,  especialmente em determinados detalhes apresentados no “desfile” que não foram tão bem colocados pelos autores.




Os Crimes Momescos – Uma Viagem aos Personagens dos Detetives. Elementar, Meu Caro Folião


Apresentação:  10,0

Explicação:  9,5
A proposta do enredo está  clara, mas o fato de simplesmente enumerar e caracterizar cada agência ou um sem-número de detetives, conhecidos, populares, ou não, torna a Explicação , além de muito extensa e  cansativa, pouco criativa , comparando com outros enredos imaginários. Além disso, não se sabe porque alguns desses detetives imaginários são apenas citados, e não caracterizados, em contraste com os outros. 

Desenvolvimento:  9,3
Como seria uma porta-bandeira de Pantera Cor-de-Rosa, dançando com o próprio Inspetor Clouseau, e ainda representando o Diamante?  Não deu pra entender..; No 4° setor, as alas representam vários detetives de obras diferentes, e aí se dá o problema de visualizar todos muito parecidos, algo comum a esse desenvolvimento, tamanha a quantidade de personagens envolvidos;  Na descrição da alegoria 5, o autor simplesmente descreve os personagens presentes, e nenhum comentário sobre sua cenografia; o 6° setor volta ao mesmo tema do 4° setor...mais uma vez , nesse julgamento de Enredos, se faz presente o intercalamento arbitrário de elementos iguais ou parecidos,  desta vez não num setor, mas entre setores diferentes;  7° setor bem mais curto que os outros, Velha Guarda sendo descrita como Alegria, sem ligação com o enredo.   No geral, um desfile que seria um grande ajuntamento de personagens fictícios.  Sua qualidade está em ter lembrado de componentes de desfile pouco lembradas por outros desenvolvimentos, como rainha de bateria, 2° Casal, Ala de Compositores, etc.

Tema e Exploração Temática:  9,1
Na verdade, o que vimos aqui foi um recorta-e-cola de vários personagens de detetives, sem uma estória convincente. O tal roubo do diamante é apenas um mote. Não se explica motivo, nem como tantos personagens diferentes conseguiram esclarecer o caso. A criatividade do tema se perde. Na própria escolha dos personagens, houve incongruências: escalar agências de espionagem, detetives e xerifes do mal, uma novela inteira e até o guarda Juju parece ter sido mais um elemento que nos faz pensar que o autor apenas quis encher seu enredo de múltiplas alas, sem lógica.  Pontos positivos:  pouca confusão e complicação no entendimento do enredo. Pelo contrário, ele é simplista demais.

Enredo:  9,3
O julgamento de um enredo leve, bem humorado, não é tarefa fácil, pois nestes há uma liberdade criativa que tem o lúdico, o carnavalesco como “álibis”, de que tudo pode ser permitido. No entanto, na função de jurado, tem-se que punir os excessos. Aqui, ficamos diante de um grande exagero.  Excesso de personagens, pouca estória...comprometendo o próprio desenvolvimento, por diversas vezes.   Faltou mais cuidado com o que se propõe ser um enredo de escola de samba.










"São Lourenço" da estrada real das Minas Gerais. Ao mundo inteiro levo água, a cura, eu sou a vida!


Apresentação ( 9,0)
Título – 1,0
Introdução – 0,0 ( não foi apresentada)
Impressão visual – 1,0


Explicação ( 9,0)
contém alguns erros e imprecisões.  Faz um vai-e-volta histórico ao pular do séc. XVII até Vargas, depois voltando a falar dos tempos da colonização; chama cidades de “províncias mineiras”. Além disso, mistura muito características da Estrada Real com a cidade que dá tema ao enredo, aliás, não muito citada. Não contém vários dos elementos presentes no Desenvolvimento que se segue. 

Desenvolvimento (9,8)
Presença de elementos não-contidos na Explicação, começando com a explosão do Universo; início de desfile muito semelhante ao desfile da Beija-Flor de 2006, inclusive nas roupas do casal de MSPB; no abre-alas , a citação “é o planeta, é o Big Bang”, que são coisas distintas;Faltou realce na Estrada Real, tão citada na Explicação. No mais, um desenvolvimento de bom nível, criativo por várias vezes, e com algum detalhamento em alegorias e fantasias, favorecendo a visualização. Faltou






Tema e Exploração Temática (9,7)
Certos problemas de entendimento e lógica, como p.ex: “ estrelas cadentes antecedendo a explosão”. Como assim? Se essa explosão é o Big Bang, NADA poderia antecedê-la;  No mais, o tema foi bem explorado, melhor que na Explicação se podia supor. A Estrada Real, porém, ficou mais na Explicação do que no Desenvolvimento. Além disso, há sempre aquele “porém’ de falar de uma cidade num enredo, e lançar mão de diversos outros elementos fora ela, pra completar o desfile.

Enredo ( conjunto). ( 9,7)
Altos e baixos. De um lado, o tema foi realizado de forma por vezes bastante criativa e melhor detalhadas que nos enredos anteriores. Por outro, parece ter havido um “divórcio” entre a Explicação: o que constava em realce em um, não constava no outro. No geral, foi um bom enredo.




O PAÍS DA CORRUPÇÃO


Apresentação  (9,2)
Título (1,0)
Introdução ( 0,2) – a “moral da história” , consistente nessa introdução, simplesmente não é vista nem na Explicação, nem no Desenvolvimento do enredo.
Impressão visual ( 1,0)


Explicação  (9,4)
Resumiu-se num elencamento de casos famosos de corrupção no país, sem se preocupar muito com contextualização, encadeamento do texto e datas. Embora esteja em ordem cronológica, o leitor que não tiver uma noção histórica ou não seja bem informado, não vai saber disso. Além disso, abre um enorme parênteses ao falar da Revolução de 30, sem citar corrupção alguma.

Desenvolvimento  (9,0)
Começa com a CF, citando os “larápios” históricos, e inclui Vargas. Ainda que o autor seja lacerdista, este não está entre os corruptos, na sinopse. Erro grave sob todos os aspectos. No setor 3, a ala “Cabo do Visconde” tá equivocadamente inclusa, pois não se refere ao tema da compra de votos; Setor 4 inteiramente problemático, pela mesma questão da CF: coloca Getúlio como corrupto, o que não consta na Explicação, e comete outra forçada de barra histórica ao retratar Julio Prestes ( representante da República Velha retratada na própria sinopse como corrupta) como “bobinho enganado” pela eleição de 30; Setores 5 e 6 com poucas alas, comparados aos demais; impropriedade de apresentar o mestre-sala com uma fantasia representando pobreza.

Exploração Temática  (9,2)
O enredo foi explorado como uma enumeração de casos de corrupção, sem uma história, uma evolução propriamente dita, e ainda com alguns erros conceituais, incluindo a Revolução de 1930 como um caso de corrupção e dizendo que a Capemi era uma empresa estatal ( era uma seguradora privada). O tema em si, muito interessante, foi mal desenvolvido.

Enredo  (9,3)
Tema bom, desenvolvimento problemático. Incongruências históricas e paradoxos com o que parecia pretender a própria Apresentação do tema e também a Explicação.


MEU CHEIRO É MÁGICO...

Apresentação (9,8)
Título (0,9) – poderia ter caprichado mais na pontuação
Introdução ( 0,9) – mesmo caso acima: bem feita, mas com alguns erros até frisados pelo corretor do Word
Impressão visual ( 1,0)

Explicação (9,4)
Bem feita, de forma fluida, em primeira pessoa. Porém, no trecho “meu número é o 16, que através dos tempos meus aromas revelei”, carece de certo sentido; incorreção quando diz que “no Velho Testamento fui um dos presentes para Jesus, através dos Três Reis Magos”, pois isso consta do Novo Testamento e fui apenas 1 dos reis magos que ofertou o incenso; mais incorreções e grosseiras de escrita, o que embora não seja ponto importante no julgamento, demonstra pressa e certo desleixo no envio para este Júri.

Desenvolvimento (9,4)
O autor traz a Bateria logo no 1° setor do desfile...ainda que não seja um desfile real, entendo que a intenção do concurso seja assemelhar-se ao máximo com a realização do mesmo. Logo, é um posicionamento estranho; também se diferencia por ter as alegorias abrindo os setores; No setor africano do enredo, presença de alas de árabes e fenícios não combina;  Ala 17 de caravelas europeias, totalmente estranha ao setor ao qual pertence;  o 5° carro é uma miscelânea entre Carnaval e religiões, o que fica esquisito..Aliás, a alegoria fecha o desfile, e não apresenta outro setor, daí portanto a confusão..fica parecendo que faltou alguma coisa, no caso, as alas sobre Carnaval.  O destaque desse desenvolvimento é a preocupação do autor em detalhar bem as alegorias, possibilitando-nos facilmente uma visualização das mesmas.


Exploração Temática  (9,7)
Um bom tema-enredo. Algumas inadequações na sua apresentação em desfile, e sobretudo no final do mesmo. No mais, sem maiores problemas na explanação.

Enredo  (9,8)
Bem pensado e bem desenvolvido, em sua maior parte, o incenso renderia um bom visual num desfile de escola de samba. Faltou aqui apenas maior cuidado do autor com a apresentação do enredo e de cuidar pra não misturar coisas impróprias em determinado setor do desenvolvimento.


VALESCA POPOZUDA

Apresentação  (9,8)
Título (1,0)
Introdução ( 0,8) – redundâncias na escrita.
Impressão visual – (1,0)

Explicação  (9,8)
“Em todo o mundo o show enchia” – frase que carece de melhor construção e sentido; Apesar de objetiva, a sinopse vem em forma de versos, alguns rimados, outros não, o que a torna meio que incoerente na formalidade. No final, parece que faltou algo.

Desenvolvimento  (9,0)
O tema é facilmente exposto no desfile, até por sua simplicidade, mas o autor não se deu ao mínimo trabalho de nos fazer visualizar quase nada do mesmo. Elementos importantes como Comissão de Frente, MSPB e todas as alegorias tem apenas citadas seus nomes, e mais nada. O quesito fica assim, bastante prejudicado no que ele pretende ser neste julgamento.

Exploração Temática  (9,3)
Um tema popular que poderia render um Desenvolvimento divertido e interessante, mas não rendeu, pelo motivo descrito no julgamento do mesmo. Para a ousadia de apresentar como “diva do Brasil”, uma artista da característica de uma Valesca Popozuda, o autor deveria ter se dedicado mais a nos surpreender e entreter com a exploração desse tema, senão ele fica restrito ao puro julgamento do tema, ou seja, sua concepção, que, como já disse, é controversa.

Enredo  (9,6)
A apresentação deste enredo começa bem, com um título e uma impressão visual interessantes, introdução razoável e uma sinopse instigante,, que nos deixava curioso em saber como a vida da Valesca seria traduzida no desfile, que não correspondeu ás expectativas. O autor parece ter-se empolgado bastante com o tema, em tratar da vida da artista, mas a mesma paixão não demonstrou na elaboração de seu desenvolvimento. Mas valeu pela ousadia em bolar esse tema.


RIO AMAZONAS

Apresentação  (9,4)
Título ( 0.4) – genérico, não criativo, nem gera interesse.
Introdução ( 1,0)
Impressão visual (1,0)

Explicação  (9,7)
Alguns problemas de escrita e fluência do texto;  às vezes se perde entre idas e vindas do aspecto que quer apresentar.



Desenvolvimento  (9,9)
O autor se dedica a escrever o significado de cada ala, por vezes repetindo o já dito na Explicação..melhor que ter esse trabalho seria se ele tivesse nos descrevendo as fantasias ou melhor descrevendo as alegorias; No 3° setor, ocorre uma repetição: tanto a Bateria quanto uma ala representando o Festival de Parintins; No geral, a mais completa apresentação de desfile no que se refere ao significado de cada setor, o que é sem dúvida, um mérito. Além disso, a divisão entre setores e números de alas é praticamente perfeita.

Exploração temática.  (9,9)
Falar de Amazonas é essencialmente uma escolha complicada. Apesar do julgamento de um tema geralmente não passar por sua originalidade, o “franzir de testa” é inevitável, quando se vê a intenção de mais uma vez representar o rio numa escola de samba. Aqui, porém, o autor teve uma grande dedicação em estudar bastante o tema.

Enredo. (9,8)
Tema batido é a primeira impressão ao visualizar o título desse enredo. Uma sinopse meio confusa e genérica, mas logo após um desenvolvimento digno de aplausos , com pouco a se ver de defeitos. O detalhamento é grande mas não chega a ser cansativo, sequer tem-se a impressão de já termos visto essas coisas tantas vezes na Sapucaí. De maneira geral, o autor saiu-se muito bem, da escolha arriscada que fez.


MALANDRO...

Apresentação  (9,3)
Título ( 1,0)
introdução  (0,3) – apenas pela possibilidade do poema a seguir do título, ser a dita cuja
Impressão visual ( 1,0)


Explicação  (9,8)
Muito boa. O único senão é falar os políticos de Brasília antes de começar a descrição histórico-cronológica dos diversos tipos de malandragem da nossa História. De resto, um texto bem escrito, interessante e que dá gosto de ver o desfile. Lamentavelmente, ele não ocorreu.

Desenvolvimento (7,0)
Não-existente ( ou não recebido).

Exploração Temática. (8,0)
Não houve exploração.. Na sinopse, enxergamos que ela seria bem proveitoso de ver realizado. O tema é muito bom. Uma pena. Não sabemos o que aconteceu.

Enredo.  (9,0)
Um ótimo enredo em potencial, que prometia ,com uma boa apresentação e a melhor Explicação do concurso até aqui. Por alguma razão, o Desenvolvimento não esteve presente.


NOSSO BLOCO TÁ NA RUA...

Apresentação  ( 9,4)
Título (0,7) – carece um pouco de poesia e parece querer ser um resumo do enredo. E ainda repete a palavra “blocos”.
Introdução ( 0,7) – em vez de resumir o enredo, ela fala mais do início do enredo.
Impressão visual (1,0)


Explicação  (9,8)
Começa com erro de concordância que torna a frase confusa, mas depois o texto se recupera, produz uma boa sinopse, e só volta a apresentar problema quando cita “a pipa do vovô”, uma marchinha nova, antes de voltar a falar dos cordões tradicionais. Um deslize pequeno, porém. Um pouco mais grave foi não citar Carmem Miranda, e citar outras cantoras.  No geral, bem no quesito.

Desenvolvimento  (9,5)
Mais um que comete o pecado de apenas nomear a CF, alas, alegorias, etc...sem se preocupar ao menos em detalhar algumas coisas, facilitando a visualização. Além disso: começa com 4 alas depois da comissão e antes do abre-alas, o que pensamos ser um exagero; um outro complicador desse desenvolvimento é que ele não detalha sobre o que cada setor fala, o que por vezes nos faz ter dúvidas sobre a divisão da escola, até mesmo se os carros abrem ou fecham cada setor..isso se dá porque o tema em questão não tem divisões claras.

Exploração Temática  ( 9,7)
Um enredo muito rico. Poderia ter sido um pouco melhor explorado. O autor escolheu algumas marchinhas, alguns artistas, e os colocou no enredo. Faltou uma divisão temática mais elaborada, mais inspirada, como esse enredo merece. No mais, sem maiores problemas.

Enredo.   (9,7)
Um tema muito explorado, mas que sempre pode render um bom desfile, além de riquíssimo culturalmente. Aqui, mais um caso de enredo melhor na Explicação do que no Desenvolvimento. Enquanto a primeira é bem proveitosa de ler, faz imaginar a riqueza poética do tema, a segunda é objetiva demais, carece de fantasia, de detalhamento.


BRASIL, PAÍS DA MÚSICA..

Apresentação  (8,9)
Título (0,9) – faltou uma vírgula importante na apresentação.
Introdução (0,0) – inexistente
Impressão visual (1,0)

Explicação (9,3)
O texto é uma mini-dissertação das impressões particulares do autor sobre a variedade musical brasileira. Não parece uma sinopse-explicação do enredo. Chega até mesmo a dizer “pra mim”. Parágrafos mal concatenados e escritos, redundante por algumas vezes, citando mais de uma vez os mesmos ritmos.

Desenvolvimento  (9,8)
Simples e relativamente bem feito. O autor dividiu e definiu bem os setores, procurando nominar e nos fazer visualizar as alas e as alegorias. Não tem a nota máxima pela pequena falta de criatividade no último setor do desfile, e sobretudo por trazer o funk num setor em que exaltaria os ritmos brasileiros livres da influência estrangeira.

Exploração Temática.  (9,4)
Mais um enredo desenvolvido recentemente pelas escolas de samba, a música brasileira é mais um tema vasto e que rende bem um desfile. O autor conseguiu fazê-la de modo razoável, com altos e baixos. Esqueceu de citar ritmos tradicionais e importantes do país, como as marchinhas, e essencialmente o frevo, inda mais porque havia um setor que falava das festas, e apenas os carnavais do Rio e Salvador foram lembrados. Também citou o funk, que não é música de origem brasileira, o que poderia ser relevado, não fosse o caráter nacionalista escolhido, ao ponto de representar numa alegoria, uma bandeira americana sendo pisoteada.  Questão de se prestar mais atenção à proposta e se manter fiel a ela.

Enredo. (9,6)
Tema bom,  mas sem introdução e com uma “explicação-opinião”.  Desenvolvimento de fácil visualização, mas infelizmente com incoerências na escolha e no esquecimento de certos ritmos que deveriam estar presentes num enredo com essa proposta.


RESPEITE A MAJESTADE DA MINHA COROA

Apresentação  (10,0)
Título (1,0)
Introdução (1,0)
Impressão visual (1,0)

Explicação  (9,9)
Uma sinopse muito boa, escrita de forma criativa e inspirada. Seu único pequeno defeito está no início, onde parece repetir a Introdução feita na Apresentação, colocando um resumo do que é o enredo.

Desenvolvimento  (9,8)
Um bela representação do desfile, com a preocupação de detalhar todos os setores, alegorias, fantasias e suas cores. Interessante também a escolha em colocar os personagens mais representativos de uma escola logo no início ( Casal, ala de compositores, Velha Guarda, Baianas). Na questão de coerência cronológica, há um problema, embaralhando épocas históricas, como p.ex. a ala dos Gregos sendo a última, logo após a Coroa papal; No 5° setor, o autor colocou alas sobre a Família Real e o carro de Nossa Senhora, mas nenhuma ala sobre o coroamento desta a frente, carecendo um pouco de pertencimento; No 7° setor, colocar uma ala sobre a coroa de flores logo após representações infantis, é estranho.

Exploração Temática  (9,7)
Um ótimo tema. Boas e inspiradas apresentação, explicação e desenvolvimento. Problemas: nos 2 primeiros quesitos, tem-se a impressão de que a Imperatriz Leopoldinense seria a grande norteadora do enredo, sendo citada diversas vezes, o que não se viu no desfile, onde foi retratada apenas no 1° Setor. Neste quesito, também, algumas pequenas questões de coerência cronológica, mas nada muito grave.

Enredo  (9,9)
No que consta à escolha do tema, cuidado de apresentação ao júri e inspiração no trabalho, nota dez. Com um pouco mais de atenção na escolha dos elementos mais importantes e impactantes desse belo tema a serem colocados no desfile, o trabalho seria perfeito. Ainda assim, uma bela apresentação de enredo.


EM NOITE DE LUA CHEIA...

Apresentação  (9,7)
Título (1,0)
Introdução (0,9) – personalista e descuidos na escrita.
Impressão visual ( 0,8) – cor vermelha com fonte azul, causando desconforto na leitura.


Explicação  (9,5)
É apresentada setor por setor, e embora o autor deva ter feito isso pra facilitar a compreensão, é um recurso estranho a uma sinopse, que tende a ser um texto mais fluido. Texto personalista e confuso em algumas partes, como num mesmo setor , ligar “energia positiva” a “bruxas irem atrás de crianças pra transformá-las  em sapos” (?????); inclusive isto nem foi retratado no Desenvolvimento; Os próprios setores retratados não são muito distintos entre si, em seus significados. De ponto positivo, a tentativa do autor em fazer um texto bem-humorado.

Desenvolvimento  (9,7)
É realizado citando os nomes dos elementos do desfile, e após isso, em outro quadro é que estão seus significados e alguns detalhamentos das alegorias. Uma escolha ruim, pois o jurado fica “obrigado” a subir e descer o tempo todo pra relacionar o nome com seu significado feito no quadro de baixo.

Exploração Temática  (9,6)
Um tema instigante. A quantidade de lendas , histórias e estórias relacionadas á lua cheia é bastante grande, e faltou explorar mais isso nesse enredo. O autor praticamente restringiu isso ao 1° setor, e distribuiu uma ou outra coisa aos demais, ficando a maior parte da apresentação destinada a monstros e assombrações generalizadas. O final do desenvolvimento foi o ponto alto , com a sacada irreverente de “ameaçar” soltar os lobisomens se as notas da escola não forem boas.

Enredo  (9,7)
O autor coloca-se como parte integrante do enredo, na sinopse, e esse tipo de abordagem necessita de maior inspiração na abordagem do tema, tanto que isso não é tão visto no desenvolvimento, afinal, que personagem ele seria? Apenas alguém que vira lobisomem? Poderia ter pontuado mais isso na apresentação desse tema, que, como já foi dito, é riquíssimo, mas ficou meio que perdido entre outras representações horripilantes. Sobretudo, faltou mais brasilidade.


DE 2009-2014...

Apresentação  (7,7)
Título (0,2) – parece tudo, menos título de enredo
Introdução (0,0) – inexistente
Impressão visual (0,5) – medíocre, sem formatação que o distinga.

Explicação  (9,0)
Texto estranho, quase nada remetendo a uma sinopse. Parece um recorte cronológico de alguma reportagem sobre a história recente do bairro de Ramos.

Desenvolvimento inexistente ( 7,0)

Exploração Temática  (8,0)
Quase inexistente...Seria pra contar o que aconteceu de importante em Ramos e na Imperatriz de 2009 pra cá, mas a impressão ficou somente no título e na Explicação. Poderia ter rendido um desfile interessante.
Enredo   (7,5)
Foi apresentado somente o título e uma semi-sinopse. Só dá pra julgar o pouco que foi mostrado, quase nada.







Julgador 5 - Eric Augusto


Enredo 1 - Laranja Mecânica "

QUESITO: APRESENTAÇÂO = 8,3
Título: 0,3 -  O título não é criativo, e sim uma cópia do nome do filme, não gera um interesse, quem já viu o filme.
Introdução: 0,2O que foi apresentado não foi uma introdução, não apresentou o enredo, sem coerência alguma.
Impressão Visual: 0,8-  - Foi apresentado de forma limpa e claro, deveria ter mais imagens de um setor por tema para maior compreensão.

QUESITO: EXPLICAÇÃO = 7,8
Não houve um explicação de fato, não tem como sequer entender o que é " Laranja Mecânica" , não foi coerente com quesito que é explanar o enredo de forma clara e não subjetiva que só o autor o conhece.

QUESITO:  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 7,9
Em princípio um certo gosto duvidoso a Porta- Bandeira vir de Alex, também como será feito esse carro jorrando leite na boca da composição, algo impossível e de mal gosto novamente. Baianas representando armas, demonstra falta de respeito com importante ala no carnaval. O que falta é apenas ser em um nível e não apelar para baixaria. Como também explicação é confusa e difícil entender o desenvolvimento.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  8,1
O terma é algo de extrema reflexão, porém é inapropriado em um ambiente carnavalesco em que sua essência é festa, descontração, e não a degradação, o carnaval pode ser critico e reflexivo dentro de sua estrutura da qual as pessoas vão para se divertir e não sair com medo ou sentir mal por uma escola que não teve bom senso.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 8.5
O enredo não tem criatividade, baseado em um único filme com, suas concepções alegóricas de mal gosto, e peca por não gerar interesse e de difícil carnavalização.




Enredo 2" VEM , PODE ACREDITAR... AQUI NÃO ÉS PROIBIDO SONHAR "

QUESITO: APRESENTAÇÂO = 8,0
Titulo : 0,7 - O título do enredo é belo porém é clichê.
Introdução: 0,0 Não houve introdução
Impressão Visual: ,03 - A formatação esta confusa não dá para acompanhar o restante.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,9
De maneira geral a explicação é bem clara, porem a forma do texto compromete a leitura.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 8.3
Há um excesso de super heróis no início do desfile, ou seja confunde o desenvolvimento, o clube do coração só corresponde os quatro do RJ?. Também excesso do sonho fubostico. O carro deve fechar o setor vide o manual.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9,3
O terma é repetitivo no universo do carnaval, não foge da além, porém é carnavalizado muito bem, e com uma exploração muito coerente com tema.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,2
O enredo é carnavalizado apresenta problemas em seu setores, uma ótima explicação , porém é clichê

Enredo: “Os Crimes Momescos – Uma Viagem aos Personagens dos Detetives. Elementar, Meu Caro Folião!”

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 9,8
Titulo : 0,9 - O título do enredo é criativo, chama atenção, porém a parte " Elementar, Meu Caro Folião!” fica confusa, pois a expressão usada por Sherlock Holmes, personagens da literatura inglesa é oriunda de uma resposta e a frase anterior poderia ser interrogativa.
Introdução : 0,9 - A introdução soube resumir, mas já poderia introduzir no início" Os Crimes Momescos" para ficar coerente, e mesclar a curiosidade dos detetives afim de descobrir o crime.
Impressão Visual: 1,0 - O Enredo em si é bem claro e as imagens dá pra imaginar na avenida.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9.4
A explicação no início é excelente, quando entra a partes dos convidados torna -os confusos, no momento da entrada do " nome da Rosa " e os Inquisidores, parecem que são os mesmos, ah também que não explica quem são esses personagens: Xerife Woody de Toy Story, Mikey,Guarda Belo da Turma da Manda-chuva, Coronel Cintra Comandante da polícia de Patópolis.Berloque Gomes,SirLock Holmes, Guarda Juju,Irene e Delegada Helô.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 8.9
Faltou o principal acontecimento do crime, pois o desenvolvimento de um desfile deve ser claro aquilo que está passado, faltou demonstrar a perda do diamante, há uma repetição da inquisição em uma ala e carro, Setor das Policias Internacionais, menciona: BOPE que nem secreta é , muito menos a inquisição, faz parte do setor
Não há uma explanação da alegoria 06, fica sem algum entendimento no setor 06, não há nenhuma conclusão! Os temas dos setores são sem criatividade tão explorada na sinopse, ou seja na concepção está ótimo, mas no desenvolvimento e carnavalização precisa melhorar

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9.1
O tema demonstra um criatividade ímpar, no sentido de levar consigo a parte mais importante, identidade na história, porém se perdeu com vários personagens, a Inquisição, acredito que era irrelevante nesse enredo, pois uma instituição maldita, não merece investigar o bem precioso que é o símbolo da escola. Outro fator que ocorreu foi o ufanismo, pois não era preciso colocar os personagens brasileiros pois são extremamente desconhecido, pois é preciso pesquisar pra saber quem é: Dona Helô, Irene e entre outros. Sendo assim o tema poderia ser mais simples que dificultaria menos o entendimento.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9.4
O enredo em sua concepção demonstra a criatividade, porém há incoerências ( inquisição no lugar de polícia), porém no seu desenvolvimento de um desfile não há um entendimento daquilo que está sendo passado para o público, pois que crime ocorreu sendo que nem  demonstrado foi? O que demonstra num olhar uma mistura de personagens que sua missão é espionar.


 Enredo "São Lourenço" da estrada real das Minas Gerais. Ao mundo inteiro levo água, a cura, eu sou a vida!

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 8,9
Titulo : 0,9 - Bom título porém não precisava do ponto no meio da frase.
Introdução : 0,0 Não houve  introdução
Impressão Visual: 1,0 - A formatação está correta em exagero

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,6
Ficou confusa no momento das lendas e a interação de São Lourenço com Macho Pichu

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 9,1
Não há um desenvolvimento para acompanhar a história de " São Lourenço de forma clara, é desnecessário: explicar a formação do universo, sendo que todas as cidades do mundo sofreu pelo mesmo processo, repetição de fantasia de portugueses e colonizadores, vaca malhada sem contexto algum, não compreendi Machu Pichu no enredo e derem mais ênfase ao estado de Minas gerais do que próprio são Lourenço ficando difícil de entender o que vai passar na avenida. Outro problema foi o excesso de ala no último setor que não representa uma coerência com o desfile.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  8,9
O tema é comum no carnaval, não é de uma grande criatividade e sim uma história da cidade, mas falta algo diferenciado para contar, acabou caindo no clique de colocar a formação da terra, personagens do local, lendas enfim mais do mesmo.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,1
O conjunto do enredo mostra algo fraco de argumentação, e não esclarece o que é "  São Lourenço"

Enredo " O País da Corrupção"


QUESITO : APRESENTAÇÂO = 9,0
Titulo : 0,5 - Bom título porém não é persuasivo e não chama atenção
Introdução : 0,5 A introdução não gerou interesse, deveria ser mais explicativa.
Impressão Visual: 1,0 - A formatação está correta em exagero


QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,7
 Uma explicação de forma clara de modo cronológico explicando a origem da corrupção no país, porém faltou um certa criatividade , pois sendo o país da corrupção seu povo também é.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 9,4
A comissão de frente assim como as alas ficariam de difícil entendimento para o público sobre : PC Farias e Roberto Jeffeson,.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  8,8
O tema é de uma linha crítica, mas exploração temática deixou a desejar poderia ser mais criativo no sentido de entreter e crítico.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,0
Enredo critico mas sem ser criativo e algumas alas ficariam sem entendimento.


Enredo: " Meu cheiro é mágico, do oriente ao ocidente eu conquistei, sou sagrado, sou divinal !

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 9,1
Titulo : 1,0 - O título do enredo é criativo e gera interesse..
Introdução : 0,4 A introdução não soube resumir , gerar um interesse sobre o motivo do incensos ser apresentado pela escola.
Impressão Visual: 0,7 A impressão que fica é meio confuso pelo vários usos de cores.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,4
A explicação mostra de uma maneira bem clara, porém ainda fecha com clichê carnavalesco sem criatividade trazer a história sendo contada para o Brasil, sendo que o elemento passa por todas civilizações como explica o enredo.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 8.5
Como não há especificado o setor fica difícil entender como será carnavalizado, outro certo problema seria a bateria na 5 ala e apenas uma ala acompanhando seguida de um carro que provavelmente quando a bateria entrar no recuo ficará um buraco na frente do carro. Não compreendi a alas dos fenícios juntos com africanos perto do carro que os representam. E no último carro apela para o mais do mesmo : o pierrô e Colombina.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9,4
O tema é interessante sua exploração é convincente mais  sua exploração temática falta criatividade.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,2
Pela sua riqueza plástica demonstra um enredo de muitos detalhes, porém peca na criatividade no conto.

Enredo -"VALESCA REIS SANTOS, DIVA DO BRASIL"

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 8,6
Titulo : 0,2  título do enredo não é criativo, sem saber que é valesca reis santos mal saberia que estava falando da " Valesca Popozuda"
Introdução: 0,4-  introdução não soube resumir um desfile de escola e samba, apenas uma biografia.
Impressão Visual: 1,0 - A impressão que está organizado.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,1
Não demostrou criatividade na forma de conduzir a sinopse, que está atrelado a biografia da cantora.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 8.7
O carro 3 e 4, não demontra um tema suficiente para ser um carro alegórico , o que irá confundir o que realmente está passando na avenida.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  8,9
 O tema é uma biografia, sua exploração temática deixa a desejar.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 8,7
o Enredo não será de uma riqueza plástica , cultural e sem criatividade.

Enredo 8 - "Nas águas do Rio Amazonas."

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 9,7
Titulo : 0,7 título do enredo faltou gerar mais interesse.
Introdução: 1,0 -  A introdução está boa
Impressão Visual: 1,0 - A impressão que está organizado.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,8
A introdução criou uma enorme expectativa, porém sua forma de conduzir foi muito objetivo esquecendo os detalhes o que atrapalhou a visão do enredo.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 9,9
Ótimo desenvolvimento, o que foi exagero foi tripé de Caravela sendo que atrás tem um barco no carro 1

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9,8
O tema é ótimo porém deveria aprofundar nos países vizinhos que foram tão exaltados na justificativa do enredo.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,9
Ótimo enredo, deveria detalhar mais outras culturas no amazonas no exterior.

Enredo 9 - Malandro é Malandro, e Mané é Mané

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 7,6
Titulo : 0,5 - o título é algo comum sem grande criatividade.
Introdução: 0,0 -   Não houve introdução
Impressão Visual: 0,1 -  impressão que está incompleto.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,4
Exaltou o malandro e esqueceu do mané...

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 7,0
Não possui desenvolvimento.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  7,7
O tema é cultural bom como não possui o desenvolvimento difícil fica como entender como será sua exploração temática.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 8,0
Pela sinopse e não teve desenvolvimento.


 Enredo " Nosso Bloco tá na rua- O carnaval de rua do rio, suas canções e seus blocos. "

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 9,5
Titulo : 0,5 O título do enredo é redundante só bastava a primeira oração já passaria a ideia do enredo
Introdução: 1,0 -  A introdução está ótima.
Impressão Visual: 1,0 -  muito bom.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,3
Nessa frase demonstra " No oba oba da folia Colombina conheceu pierrô, mas logo o trocou por arlequim" ainda mais do mesmo a história de contar o carnaval, o que demonstra fora de contexto com a história dos blocos no Rio de Janeiro.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 8,8
Sem demonstrar o setor confunde como é a interação das alas com as alegorias assim como diz no manual do julgador, em desfile precisa ter um equilíbrio entre alas em um conjunto, mas  entre a alegoria 2 e 3 são apenas 3 alas, o que dariam certo desiquilíbrio, as alegorias 4,5 e 6 não demonstram a mesma coisa das alas , ou seja as alegorias não representam as reticencias e não interagem com as alas.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9,6
O tema é de uma riqueza cultural no próprio carnaval, o que faltou foi uma criatividade na exploração que tratou como história.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,5
O enredo tem um belo contexto, mas peca no desenvolvimento, assim como na sinopse fala da escolas de sambas que se quer fala no desfile.


Enredo  : Brasil o país da música

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 8,2
Titulo : 0,6 O título do enredo não apresenta criatividade e não gera interesse claro.
Introdução: 0,0 -  A não apresentou introdução.
Impressão Visual: 0,6 -  Uma formatação confusa que prejudica a leitura.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  8,6
A explicação não convence, busca algo mais do mesmo, não foi persuasivo e fascinante pra elaborar o enredo, rico culturalmente e desnecessário a afirmação de que as músicas não influenciadas pelo americanos são mais respeitáveis, sendo o país da música todo o tipo musical é igual.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 8,5
O desenvolvimento é confuso, ou seja, não dá para compreender o enredo na avenida, o que o setor 1 com fukeiros iguala ala do funk, e totalmente sem criatividade o último setor que sai do enredo sendo " o Brasil País da Música " como visualmente alguém na arquibancada vai entender o vários países passando no país da música.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  8,8
O tema não é algo difícil, mas bastante utilizado no carnaval, sua exploração deixa a desejar, pois deveria ser mais subjetivo , ser mais criativo, descobrir ritmos novos, ou seja, aprofundar na exploração temática

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 8,9
Enredo confuso e sem criatividade, sem qualquer surpresa, e deixa a desejar no seu desenvolvimento.

Enredo : “Respeite a majestade da minha coroa”

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 9,9
Titulo : 1,0 - Bom titulo
Introdução: 0,9 -  A introdução possui problemas de adequação, "Elegemos os líderes religiosos, reis, rainhas, imperador, imperatriz, numa batalha de poderes e força. Detém a coroa quem é vencedor, quem é especial.", ou seja ao longo da história nem sempre as coroas foram quem é especial.
Impressão Visual: 1,0 -  ótimo.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,8
 Não precisava dessa frase "Não se sabe exatamente quando as coroas foram criadas." pois  deixou com ponto de dúvida, precisa conhecer e dar teorias ao fazer acreditar como surgiu a coroa

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 9,5
Há um problema de adequação no setor 3, como samurais e gladiadores se igualam a : Rei Davi , Faraó e Cacique entre outros tão poderosos, O setor 7 desnecessários, com uma riqueza plástica até setor 6 decai no 7 sem criatividade.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9,3
O tema possui aprofundamento histórico em que deveria ser mais detalhado e aprofundado na exploração do tema

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,6
O título encanta mas no desenvolvimento final frustra.


Enredo: "Em noite de lua cheia... Deu a louca nas assombrações"

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 8,4
Titulo : 1,0 - Bom titulo
Introdução: 0,0 -   Não houve introdução
Impressão Visual: 0,4 -  muito exagerado, dificulta a leitura por conta do fundo vermelho.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  9,9
Muito bem construído, mas peca pelo detalhe.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 9,8
Muito bom o desenvolvimento porém com apenas 4 carros fica abaixo do esperado.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  9,4
O tema é algo criativo, porém deveria ser explorado com história autoral o que daria algo mais leve para o desfile .

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 9,6
O enredo deveria ser mais abrangente na avenida.

 Enredo " De 2009-2014 Ramos vira um bairro de altos e baixos!

QUESITO : APRESENTAÇÂO = 7,4
Titulo : 0,4 - o título não gera interesse , parece uma propaganda política.
Introdução: 0,0 -   Não houve introdução
Impressão Visual: 0,0 -  impressão que está incompleto.

QUESITO : EXPLICAÇÃO =  7,1
 Não parece uma sinopse e sim algo da subprefeitura de Ramos.

QUESITO :  DESENVOLVIMENTO E CARNAVALIZAÇÃO = 7,0
Não possui desenvolvimento.

QUESITO : TEMA E EXPLORAÇÃO TEMÁTICA =  7,2
O tema não é carnavalizado parece a  lista de obras do PAC  , sua exploração temática deixa a desejar.

QUESITO : ENREDO( CONJUNTO ) 7,1
O enredo está incompleto pouco que vi, não possui nada de criativo e cultural.


Marcadores