Postagem em destaque

VOTE AGORA!!! SUPERCAMPEONATO - VOTE AGORA PARA DECIDIR O SUPERCAMPEÃO

VOTE AGORA!!! Tem um título em jogo e você poderá decidir o quem será o supercampeão do Concurso de Enredos 11!!! Confira os 5 e...

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!
Gostou de uma ideia, Clique na lâmpada e leia a nossa recomendação!

terça-feira, 21 de junho de 2016

REGULAMENTO - DÉCIMO CONCURSO BRASILEIRO DE ENREDOS

REGULAMENTO

Apresentação:
O Concurso de Brasileiro de Enredos é um concurso artístico, de formato flexível e independente. O Concurso Brasileiro de Enredos também pode ser identificado como Oficina de Enredos (espaço para produção de enredos, debate sobre os rumos do Carnaval e escola para formação de Enredistas).
Explicando nossos “termos”:
Um concurso Artístico
Somos um concurso, ou seja, existe a intenção de após cada evento realizado eleger um vencedor, no caso, o melhor enredo. Por tanto, salvo os enredos proclamados como apresentações especiais, os demais enredos inscritos competem entre si.
Fazemos questão de destacar o termo “artístico”, pois somos um concurso de cunho artístico, temos compromisso com a arte, promoção da arte e surgimento de novas ideias.  E procurando manter essa promessa, acreditamos que devemos dar espaço para a maior liberdade possível para a expressão artística, ela deve ser livre, a criação deve ser prioridade, não desejamos amarrar excessivamente nossos criadores em formatos excessivamente engessados e que prejudiquem a sua liberdade para criarExatamente por isso, adotamos um formato de disputa flexível, sem exatamente um formato padronizado e fixo”, para sermos receptivos com diversos padrões de apresentação e vamos procurar “na medida do possível” aceitar e conviver com as mais variadas propostas e diferenças.
Apesar disso, por estarmos também em uma competição, podemos recomendar determinados formatos ou fazer determinadas exigências que considerarmos importantes para testar e analisar os enredos que desejam vencer o concurso. Essas recomendações são indicações ou obrigatoriedades que poderão estar presentes para o julgamento e a avaliação dos enredos. Mas frisamos que mantemos o compromisso de sermos um espaço livre e aberto a todos, o não respeito ao regulamento salvo casos excepcionais (como trapaças e tentativas de prejudicar outros) não resultarão em exclusão de nenhum autor ou enredo do processo.
Destacamos que os autores não devem priorizar excessivamente a vitória, participar de um Concursos de Enredos pode ser uma janela para um novo mundo, muito maior do que simplesmente vencer ou perder.
Somos independentes e procuramos manter um espaço e vanguarda e resistência
O concurso se posiciona como independente porque não somos necessariamente escravos de qualquer formato de liga de escolas de samba, seja ela qual for. Podemos receber influências que julgarmos importantes e necessárias, mas não exatamente seguir e viver se adaptando para decisões que eventualmente vem de cima, pois não estamos necessariamente em baixo e nem dependemos de qualquer liga para sobreviver. E nossa proposta também é influenciar, sermos e mantermos um espaço de vanguarda e resistência, abrindo espaço paranovas ideias e enredos autorais com compromisso com a criatividade. 
Ser Vanguarda é exatamente procurar estar na frente, avançar e não ficar seguindo passos. O que é impossível e irreal hoje poderá ser o carnaval do futuro de amanhã. Por isso, se temos compromisso com o novo, precisamos ser abertos para novas ideias e novas proposições.
            O nosso Regulamento durante todas as edições sofreu mudanças, sempre procuramos desde a primeira edição refletir, nos adaptar e crescer.
Oficina de Enredos Carnavalescos e Escola para formação de enredistas
            Temos compromisso em ser um espaço para produção de enredos carnavalescos e também para reflexão sobre enredos e rumos do carnaval, debates, estudo e reflexão sobre os enredos mostrados.
            Também temos um papel de escola para formação de enredistas, no momento que recebemos todo e qualquer tipo de enredo e procurarmos dar um retorno ajudando todos que participarem do projeto. Os enredos participantes do Concurso de Enredos são exibidos, debatidos, analisados e estudados tanto pela Comunidade que faz parte do Concurso de Enredos como pelos jurados. Procuramos crescer e proporcionar crescimento.
Somos um espaço coletivo, gratuito e de acesso livre.
O concurso tem como objetivo ser receptivo para todos que desejam disputar ou acompanhar com os mais variados objetivos e intenções. Incluindo os que desejam botar o seu “bloco na rua” apenas para brincar, ou até, os casos mais sérios que tem a intenção de divulgar o seu trabalho pensando em projeções no carnaval real ou até no virtual.  Exatamente por isso,podemos atender e receber um carnavalesco profissional (que deseja espaço para expressar as suas ideias), um amante do carnaval (que deseja influência e defender suas ideias e fazer parte do futuro do carnaval), gente que apenas quer se divertir (e imaginar que possui uma escola de samba virtual, literária ou imaginária) e até meninos de 12 anos que estão ainda aprendendo a escrever um texto.
Destacamos que não somos uma “liga” de enredos e somos anteriores a existência de qualquer tipo de liga virtual.
1.    O regulamento e objetivo:
O Regulamento do Concurso de Enredos foi elaborado para procurar atender a natureza e os princípios do Concurso já explicados anteriormente. Por sermos um concurso artístico, que atende variados tipos de públicos, termos compromisso com arte e liberdade de criação não poderíamos ser demais planificados ou apresentar um regulamento cheio de formalismos, assim como nossas “particularidades” são pensadas em atender os nossos objetivos.
Nós não queremos ser a LIESA, nós queremos fazer a diferença!

2.    A inscrição (Como participar e regras do concurso)
            Para participar do concurso de enredos tudo que o autor precisa é enviar o seu enredo em arquivo word para o e-mail: abacateazul@yahoo.com.br. Enviando o seu enredo, o autor estará automaticamente inscrito no concurso.
            Quem por acaso estiver inseguro no formato de enredo que irá apresentar poderá conferir alguns exemplos:

3.    O que precisa conter em um enredo que disputa o concurso?

ATENÇÃO: Não importa as condições de disputa desse enredo, o concurso de enredos aceita qualquer enredo, estando completo ou não. Mas estas são as obrigatoriedades pra quem deseja ser campeão.

Basicamente o Enredo precisa conter:
a. Título - o nome do seu enredo
b. Texto de Introdução - A função deste texto no concurso é deixar claro do que se trata o enredo, o que será visto, dando uma rápida amostra do que poderemos encontrar. É um texto importante de defesa do enredo e delimitação do que será contado (ou seja, deixar claro que entra e o que não deve entrar neste enredo).
c. Sinopse ou Argumento - É o texto que contará o enredo poderá ser resumido ou não, mas deve conter tudo que pretende expor.
d. Roteiro do enredo – Após a sinopse ou argumento apresentar uma explicação inicial para os setores separadamente (com nome e resumo de cada setor) e apresentar nome e número para alas e carros. É sugerida a explicação de cada ala e de cada carro, não é uma obrigatoriedade, mas é recomendado para aqueles que desejam de fato obter o campeonato.
eAlas Obrigatórias: Devem estar presentes no roteiro do enredo - Comissão de Frente, um Casal de Mestre Sala e Porta Bandeira (identificado como o Primeiro), Ala de Baianas, Bateria e Velha Guarda. Também é sugerida uma ala infantil e uma ala de passistas (mas estas duas não são obrigatoriedades). Todas as alas e carros devem ter um significado no enredo.
ExVelha Guarda - Ala 30 – Dando a volta por cima
Fechando a escola, a velha guarda comemora a volta por cima do país... Trazendo bandeiras do Brasil na mão, mostrando nosso sentimento de Patriotismo.
f. Carros Alegóricos e número de setores – O número de setores é ilimitado, assim como o de tripés. É limitado apenas o número de carros que deve ser entre 1 e 15 carros (esse grande número variante para sermos receptivos com todos os tipos de enredos).
O concurso é tolerante com enredos projetados pensando em escolas do Grupo Especial do Rio de Janeiro, enredos visando escolas do Grupo de Acesso ou Carnaval de São Paulo, escolas virtuais e escolas de outras cidades. Cada campeonato tem limitação diferente de carros que fazem com que neste concurso não exista um padrão fixo do número de carros.
O limite máximo alegóricos foi aumentado para 15, pois resolvemos ser um espaço de vanguarda, como temos o objetivo de ser um espaço para livre exposição de ideias, estamos dando inicio a política para maior liberdade de criação e não voltar para trás como fez a Liesa com limite de 7 alegorias e agora ao que tudo indica 6 carros, ano que vem talvez 5, 4 carros. Nos por sermos resistência, defendemos que deve ser livre, que uma escola deve ter total liberdade para trazer 1 alegoria ou 15, se assim desejar.
Recomendação Especial: A divisão dos enredos não precisa ser necessariamente obedecendo 12-15 carros => 12-15 setores. O autor com um tipo de proposta assim, pode dividir o seu enredo em partes maiores, podendo por exemplo, ter Capítulos (5 capítulos, cada capítulo podendo ter 3 setores, que no caso seriam subcapitulo), Quadros, Atos...
g. Tamanho do arquivo: Não poderá exceder 6000kb 
h. Assinatura: No mínimo é exigido nome identificação (apelido, nome fictício ou verdadeiro) e e-mail para contato (depois do título ou no final do enredo). Não esqueça que um carnavalesco, um presidente de escola, alguém pode ler e se interessar pelo seu enredo. Então não esqueça de deixar um contato.
i. Fontes – É livre, cores, tamanhos, letras, espaçamento, o que se espera é um texto bem apresentado, bom para ler, fácil de entender.
j. Imagens - É facultativo. Sugerimos que o enredo tenha imagens, mas isso é só uma questão de embalagem. E atenção para o tamanho do arquivo (6mb é o limite).
k. Normas da língua portuguesa – Não somos um concurso de redação, esperamos que os enredos apresentados sejam bem compreendidos, erros leves são perdoados. Perderá nota o que comprometer o entendimento e em casos de erros graves.
l. Referências – Recomendamos referências e é obrigatória nos casos de cópia integral de trechos de qualquer site ou livro... Essas referências não precisam ser nas normas da ABNT, desejamos um formato flexível e não nos transformarmos em Monografias universitárias.
m. Arquivo – Aceitamos vários tipos de arquivo, mas enredos em.pdf e diretos no e-mail perderão 0,2.


4. Enredos que disputaram outros concursos (escolas virtuais e reais)
Podem participar normalmente, o concurso não exige ineditismo neste sentido. A única restrição seria um mesmo enredo que já disputou este concurso desejar disputar novamente.
ATENÇÃOA sinopse inscrita não pode ser um plágio de outro autor, por isso, não é recomendado pegar a sinopse de uma escola de samba do carnaval real e inscrever como enredo. O autor se desejar fazer uma “reedição” terá que criar ao novo, não apenas o roteiro, mas reescrever a sinopse também! Somente o autor do enredo, por exemplo, o próprio Renato Lage poderia inscrever a sua sinopse do Salgueiro 2015 no Concurso de Enredos. Não vale sequer pedir autorização do autor.
4.1. Mesmo tema não é mesmo enredo
Um tema já pode ter sido tratado por diferentes autores ou até pelo mesmo autor. Cada obra mesmo com tema igual ou muito semelhante pode ter uma exploração temática totalmente diferente, por isso, em nada o Concurso de Enredo possui restrição quanto a essa questão.
4.2 Enredos de mesmo autor (um autor participando com mais de um enredo)
Um mesmo autor pode disputar com até 4 enredos neste concurso (3 de temas comum e 1 enredo temático, ver mais sobre o Concurso de Enredos temático no item 10 do Regulamento). Apresentando um quinto enredo de mesma autoria, o último enredo entregue estará automaticamente inscrito no concurso seguinte.
Se o autor apresentar dois enredos temáticos, um deles irá participar do Concurso Tradicional.
4.3 Assinatura da obra
Aceitamos enredos anônimos, com codinomes, apenas recomendamos que seja evitado que o mesmo autor participe com dois nomes diferentes e depois exija premiação para os dois enredos. Recomendamos que um dos supostos autores abdique do seu prêmio, para não sermos obrigados a expor esse questão para os demais.
Todo o enredo deve ter no corpo do texto uma autoria identificada e pelo menos um endereço de e-mail para podermos entrar em contato com o autor. Inclusive se alguém desejar entrar em contato direto com esse autor, existir essa possibilidade através desse contato.
Os enredos poderão ser de dupla, trios, grupos. Só destacamos que se houver premiação, o prêmio sempre será único, por tanto um enredo com 5 autores não receberá 5 troféus, será um apenas e caberá aos participantes decidir quem ficará com o prêmio.
5. Plágio, colagem, inspiração, trechos copiados e outras questões
Nesse item vamos destacar os conceitos do concurso sobre essas questões importantes.
5.1 Plágio TOTAL e PARCIAL nossas considerações sobre isto:
5.1.1. Plágio TOTAL - Será todo texto copiado de outra pessoa sem dar os devidos créditos. No momento que for localizado uma origem do texto copiado na integra que deixou de citar a fonte isso passará a ser considerado plágio pelo concurso de enredos. Nossa punição quando a questão será de grande rigorosidade (ver Comissão de Obrigatoriedades).
5.1.2. Plágio PARCIAL - Chamamos de colagem a junção de dois ou mais textos diferentes lugares e copiados na integra sem o autor citar os créditos. Nossa punição para esse tipo de texto é moderada (ver Comissão de Obrigatoriedades).
Fazemos essa diferenciação, por considerar que no caso dos plágios parciais o autor do enredo ainda pesquisou, fez seleções de texto. Ainda mais nos casos de “conteúdo” enciclopédico que pode estar contido nos enredos, naqueles trechos que o autor só queria trazer informações mais completas sobre determinado coisa, conceituar, contar com mais profundidade algum item. Não sendo necessariamente esse texto parte da criação do enredo, e mais um caso de informação complementar. Também somos “escola” por isso sempre iremos descontar pontos, jamais desclassificar, queremos ajudar e fazer todos crescer. Temos consciência que recebemos participantes de diferentes níveis, incluindo até jovens garotos que ainda estão aprendendo a fazer pesquisas, por isso, tomar medidas mais radicais em nada ajudariam no processo de crescimento desses autores.
5.2 Inspiração
O autor pode copiar trechos de diferentes textos, se inspirar em letras de música, poemas, livros, desde que cite essas obras.
A regra que adotamos é tudo que for citado não é plágio, tudo que deixar de ser citado poderá ser considerado plágio.
5.2.1. Inspiração e falta de criatividade
Inspiração não deve ser considerada necessariamente como falta de criatividade. Isso deve ir de cada caso em particular. Estamos cheios de adaptações de livros, filmes, peças de teatro, nada mais normal termos também adaptações e inspirações oriundas dessas “artes” para os enredos.
5.3.  Referências
Referências para esse concurso ainda vamos deixar como sugestão. Não vamos fazer exigências na obrigatoriedade delas excetuando os casos de cópia de trechos inteiros na integra.
Também não temos padrão para as referências, portando não seguimos as normas da ABNT. Não desejamos que o concurso seja decidido porque “Enredo A” deixou em letra minúscula o sobrenome do autor, ou esqueceu-se de citar o número da edição do livro. Nosso foco principal é o conteúdo, deixamos essas coisas secundárias para outros se preocuparem.
Também não é solicitada a obrigatoriedade de fazer referências de imagens, pois não pretendemos trazer poluição visual para os enredos. Principalmente porque boa parte das imagens são de domínio público, de autoria muitas vezes dificilmente comprovada.

6. Ordem de desfile
O concurso realiza o que chamamos de desfile que serão as datas em que serão apresentados no site do CONCURSO DE ENREDOS os enredos que disputam o concurso.
6.1. Definição da ordem de apresentação
Sobre esta ordem de apresentação, a organização deverá definir usando três critérios, listados em ordem de importância:
aOrdem de entrega dos enredos (vai definir a noite em que o enredo vai ficar, se entrega cedo cairá na última noite, se entregar tarde cairá a primeira noite). Esse ainda é o principal critério. Exemplo: 21 enredos entregues
Primeiro até o sétimo enredo – Primeira noite
Oitavo enredo até o décimo quarto – Segunda noite
Décimo quinto enredo até o vigésimo primeiro – Terceira noite
b- Enredos de mesmo autor, para evitar sequencias longas de enredos de mesmo autor, o enredos ficarão em noites diferentes, se caso de caírem na mesma noite ficarão com posição intercalada ou no caso de 3 enredos ficarão em noites diferentes.Ex: Entregou três enredos no mesmo tempo e ficou em posição 1-2-3, ficará dois enredos na primeira noite na posição 1-4, e na segunda noite na posição 1.
Como no Décimo Concurso será com formato de Copa, tirando um campeão por dia, deveremos manter os enredos de mesmo autor em dias diferentes.
c- Colocação no último concurso: os Campeões ganham bônus por colocação (Campeão, vice, terceiro, quarto, quinto e sexto colocado). Esse bônus isso vale para apenas um enredo, se o autor entregar mais de um enredo só um enredo deste autor será 'premiado', o resto cairá na regra 2.
Campeão +3 posições
Vice-Campeão +3
Terceiro +3
Quarto/Quinto lugar +2
Sexto +2
Exemplo:
O enredo do atual campeão ficaria na posição 2 da segunda noite, com o bônus ele ficará na posição 5.
d – Outras questões
Em caso de empate prevalecerá a ordem de entrega.
Enredos com mesmo autor para não ficar em um sequencia completa, também terão a ordem alterada.
e – Trocas de posição
Ocorrerão logo depois de divulgado a Ordem de Desfile prévia. Os autores terão 72 horas para fazer trocas.
7. Premiação
Não temos premiação nesta edição. E não consideramos isto fundamental
Embora aceitamos e sempre que pudermos eventualmente presentear os enredos ou receber doações para premiação aceitaremos.

8. Julgamento dos enredos
Cada julgador analisará todos os enredos e atribuirá notas para todos os quesitos. A nota mínima é 9.0 e a nota máxima é 10.0 para os quesitos Impressão Visual, Título e Introdução. Para os demais quesitos a nota mínima é 5,0 e 10.0 a nota máxima.
Por que existe essa diferença entre os quesitos?
É para valorizar os quesitos mais importantes. Os quesitos Título, Introdução e Impressão visual são quesitos de apresentação de enredo, tem sua importância, mas são itens considerados secundários.

8.1 Descarte de notas
Com dois jurados a nota mais baixa será descartada
Com três ou mais jurados, teremos o descarte da nota mais baixa e da mais alta.
9. Questões não presentes no regulamento

Considerando que é impossível prever uma infinidade de questões que o regulamento não conseguiria incluir caberá a organização decidir, podendo também abrir votação ou consultado os jurados do concurso de enredos conforme cada caso.
Tudo que estiver no concurso relacionado com intenção de prejudicar um terceiro, burlar de maneira desonesta as regras, leis, poderá estar propenso a penalidades.
10. Concurso de Enredos (tema livre) e Concurso de Enredos temático
Teremos nesta edição dois concurso de enredos. O Concurso de Enredos com tema livre (tradicional como sempre é) e o Concurso de Enredos temático (tema único).
Foi definido por votação o que o tema único seria:
Fazer um enredo sobre uma escola de samba (ou todas) ou personalidade do carnaval. Caberá a organização classificar os enredos como temático ou livre.
Os enredos temático desfilarão na mesma noite e disputarão um campeonato entre si. Os dois primeiros colocados também se classificarão para o Super Campeonato.
11. Jurados e seleção de jurados e Sistema de julgamento do Décimo Concurso Brasileiro de Enredos
O Concurso Brasileiro de Enredos exatamente com base nos seus princípios fundamentais, já expostos e explicados nos itens iniciais deste regulamento, procura um quadro de jurados coerente com esta natureza.
Somos um Concurso plural, que procurar respeitar os mais diversos tipos de propostas e estilos, assim é sempre buscado um quadro de jurados que represente esta pluralidade.
O Décimo Concurso de Enredos é comemorativo, a nossa prioridade nesta edição é comemorar as 10 edições, o julgamento é considerado algo de segundo plano, nosso prioridade nesta edição será a Oficina e o Debate.
Atendendo a solicitações de muitos participantes que faremos e organizaremos a Décima Apuração que será feita em formato de Copa.
Cada noite de desfile sairá um Campeão e futuramente teremos um SuperCampeonato com os 2 primeiros colocados de cada noite.   Em caso de empate a organização irá desempatar utilizando os seguintes critérios: 

Total válido em Conjunto Artístico (total válido, ou seja, notas descartas não são incluídas)
Total válido em Exploração Temática
Total válido em Roteiro
Total válido em Argumento
Total válido em Introdução
Total válido em Título
Total válido em Impressão Visual
Total de Notas válidas 10
Total de Notas válidas 9,9, 9,8, 9,7... e assim por diante até a nota 5,1

Apenas persistindo o empate é que os enredos continuarão empatados.

A Data da apuração será marcada para cerca de 60 dias após a entrega dos enredos. Será possivelmente entre os dias finais de Setembro ou início de Outubro.
Os enredos que ficarem entre o 3º e o 4º lugar participarão da Recopa, que corresponderá a um espécie de disputa de 9º a 16º lugares do Supercampeonato.

12. Campeonatos Regionais e Estaduais
Teremos mais uma novidade no Décimo Concurso Brasileiro de Enredos que será a definição de campeões regionais e estaduais.
Campeonatos Regionais
Em posição inferior a do título do Concurso Brasileiro de Enredos, os campeonatos regionais serão os mais importantes, caberá a organização dividir os enredos por Regiões.
As regiões seguem classificação tradicional de Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte, porém para uma região ter o seu próprio campeonato será necessário obedecer alguns critérios:
- Número de enredos
- Histórico no Concurso de Enredos (campeões oriundos de determinada região)
Exemplo: Até o momento faremos o campeonato da Região Noroeste (aglutinando participantes das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste).
A divisão final será confirmada dias depois de terminado o prazo de inscrição/entrega dos enredos. Só neste momento poderemos ter noção do número de enredos por cada região.
Campeonatos Estaduais
Serão os campeonatos de terceira grandeza, abaixo do Concurso Brasileiro e Concursos Regiões.
Teremos campeonatos estaduais obedecendo o seguinte critério:
- Estados que possuírem 3 ou mais enredos inscritos.
Estados que possuírem menos de 3 enredos inscritos serão integrados ao Concurso do Resto do Brasil que será um campeonato estadual com participantes destes estados.
Um enredista poderá ser o único participante do seu campeonato estadual, já que o que define a disputa é o número de enredos.
12.1 Definição de um campeão regional ou estadual
A definição do campeão será de acordo com a classificação final do Supercampeonato, posteriormente recopa e por último classificação do enredo no seu dia de desfile.
Exemplo enredos que disputam um suposto campeonato cearense:
Enredo A – Terceiro lugar na Recopa
Enredo B – Quinto lugar no Supercampeonato
Enredo C – Sexto lugar no Supercampeonato
Enredo D – Oitavo lugar na Recopa
Enredo E – Quinto lugar na Sexta-feira (não se classificou para Supercampeonato e nem Recopa)
O campeão Cearense será o enredo B quinto colocado no Supercampeonato, o vice será o enredo C. Depois vamos para os cearenses que participaram da Recopa, o terceiro lugar ficará o Enredo A, o quarto colocado o enredo D. O enredo E ficará na quinta colocação.
12.2 Enquadramento dos enredos nas disputas regionais e estaduais.
Em via geral vamos enquadrar os enredos de acordo com a residência inicial dos enredistas. Em caso do autor mudar de estado ele poderá solicitar participar do campeonato na sua residência atual.
Um enredo participará, por exemplo, do campeonato gaúcho, sendo o autor do enredo gaúcho ou residente no Rio Grande do Sul. Em via de regra geral os participantes serão classificados de acordo com a sua participação histórica no Concurso de Enredos. Porém, um participante se mudar de estado poderá solicitar participar do campeonato em que é residente atualmente.
Terminada as inscrições a organização irá classificar os enredos por estado e Região. Os participantes em casos especiais poderão se manifestar e trocar de Região e Estado.

Participantes anônimos:
Para preservar a sua identidade, eles poderão optar pelo estado que desejam participar.

REGULAMENTO SEGUNDA PARTE

Quesitos para julgamento (explicação resumida):
O DÉCIMO concurso de enredos possui 7 quesitos para julgamento dos jurados e um quesito especial de obrigatoriedades sob responsabilidade da organização do concurso (Comissão de Obrigatoriedades).
Quesito Impressão Visual – Julga a apresentação do texto do enredo, fontes, parágrafos, cores.
Pergunta chave: A leitura do texto do enredo é fácil?
Quesito Introdução – Julga o texto que apresenta o enredo. Esse texto é vital para o autor deixar claro a sua proposta, o que vamos ver nesse enredo e até o que não vamos ver...
Pergunta chave: O enredo está bem apresentado? Você conseguiu com a introdução entender a proposta do enredo?
Quesito Título – Julga o nome do enredo.
Pergunta chave: O seu título valoriza este enredo?

Quesito Argumento – Julga as explicações, a maneira com que o enredo foi apresentado, a qualidade das informações trazidas pela sinopse.
Pergunta chave: O argumento do autor do enredo está claro?

Quesito Roteiro – Julga exatamente o roteiro do enredo, os capítulos do enredo (setores), sua leitura com base nos alas e carros.
Pergunta chave: O roteiro do desfile é criativo e de acordo com o enredo proposto?

Quesito Tema e Exploração Temática – É o tema e o desenvolvimento temático, o bom gosto, os tópicos abordados, a criatividade em trazer mensagens nas soluções abordadas.
Pergunta chave: O tema do enredo com base na sua proposta foi bem desenvolvido?

Quesito Conjunto Artístico – Avalia a criatividade, os acertos, os pontos positivos. Não é um quesito preocupado com pequenas falhas deve se preocupar com o todo e o com as coisas mais essenciais.
Pergunta chave: Deu vontade de ver esse enredo na avenida? O que ele tem de bom? O que faz esse enredo especial?


1.    QUESITO TÍTULO (Nota mínima 9,0 – Nota máxima 10,0)
O título é o nome dada para o enredo. Será o primeiro contato que teremos com o enredo, por isso ele é muito importante.
Itens importantes para análise no quesito:
- Coerência com o enredo proposto;
- Criatividade, evitando clichês;
- Gerar interesse pelo enredo, atraindo o público para prestar atenção no enredo;
- Não tenha erros gritantes de português (salvo caso proposital)
Obs1: A ausência de título a nota do enredo deverá ser 9 nesse quesito.
Obs2: O título não precisa ser explícito. O autor pode optar por um nome unicamente “chamativo” procurando causar impacto e gerar curiosidade, por exemplo, “1964”.
Obs3: Um título equivocado pode gerar confusão e dificultar bastante o entendimento do enredo. O autor não pode destacar demais elementos no título que vai posteriormente ignorar. Um título pode carregar uma ou mais palavras-chaves que o enredo não poderá ignorar.

2.    QUESITO IMPRESSÃO VISUAL DO TEXTO (Nota mínima 9,0 – Nota máxima 10,0)
Esse item julgará tudo relacionado com a apresentação visual do texto do enredo analisando letras, fontes, parágrafos e as mais diversas ilustrações que poderão conter os enredos.
A apresentação de um enredo deve facilitar a leitura, tudo que dificultar a leitura pode ser motivo de penalização neste quesito.
Convém destacar que o concurso aceita dois tipos de apresentação:
Simples/tradicional – Um texto em preto e branco sem imagens. Esse texto deverá ser julgado na sua facilidade de leitura. Representa uma apresentação tradicional dos textos dos enredos.
Ilustrada/colorida – Um texto que apresente as mais variadas cores, imagens e o que mais a criatividade do autor poder trazer. Deverá ser julgado na facilidade de leitura do enredo, além de coerência das ilustrações e cores com o tema enredo.
Observações:
Obs1: O julgador poderá tirar nota de tudo que julgar que prejudica na leitura do texto e do seu entendimento. Fontes de tamanhos imensos, uso excessivo de determinada fonte, cor, padrão que dificulte a leitura do texto.
Obs2: Nos enredos da LIESA e carnaval real não existem textos coloridos e nem imagens, isto é uma particularidade do Concurso de Enredos. Como não temos fantasias e alegorias, permitimos que os autores tenham a oportunidade de expressar a sua arte também com o uso de imagens, cores e o que a sua criatividade desejar. Além disso o uso de imagens também é uma forma de comunicação, entendemos que isso pode sim fazer parte de um texto e agregar, complementando e ajudando no seu entendimento e visualização de eventuais potenciais plásticos de algumas temáticas.
Por exemplo, o Templo de Prambanam, que pode ser citado em um texto de um enredo e passar batido, podendo dar impressão que não tem beleza nenhuma. Já  um autor pode optar por mostrar uma imagem  dele e revelar todo os seu potencial artístico, que fica evidente uma potencialidade para infinitas soluções plásticas:


Como as facilidades e praticidades de um editor de texto como o Word, muitas vezes os autores poderão não resistir e apresentar textos ilustrados e coloridos nada mais coerente também que se utilizado este recurso ele passasse a ser julgado. Já que determinados excessos podem atrapalhar a leitura e apresentação do enredo.
3.    QUESITO INTRODUÇÃO (Nota mínima 9,0 – Nota máxima 10,0)
A introdução é o texto que apresenta o enredo, é com a introdução que esperamos começar a entender o enredo e a proposta de exploração temática nele contida, dois pontos importantes são esperados de uma boa introdução:
- A introdução deve fazer uma explicação resumida do que trata o enredo.
- A introdução deve gerar interesse pelo enredo.

Obs1: A introdução é encontrada geralmente logo depois do título e poderá estar identificada como JUSTIFICATIVA, INTRODUÇÃO, APRESENTAÇÃO, em alguns casos até sem um título claro de identificação, mas está localizada geralmente entre o título do enredo e sinopse.
Obs2: Na ausência de introdução, a nota do enredo deve ser 9,0. O julgador pode também considerar o primeiro parágrafo da sinopse como sendo introdução, mas fica sob sua análise se deseja considerar como sendo introdução ou não. E claro deverá observar se o primeiro parágrafo cumpre uma função introdutória para o enredo em questão.  
Obs3: Geralmente a introdução é um texto bastante curto, mas conforme a obra pode ser mais longo. Depende muito do tipo de enredo, alguns podem usar a introdução para desfazer eventuais polêmicas que envolvem a sua obra ou diferenciar a sua obra de enredos com temática parecida.
Obs4: A análise da Introdução também é uma particularidade do Concurso de Enredos é incluída por consideramos que ela é fundamental para a delimitação do tema, deixar claro que entra e o que não entra no enredo. Exemplos de delimitação do tema:
- Vamos falar sobre Folclore Brasileiro (a proposta é ampla, falar sobre o folclore de todo o país, vai se esperar que todas as regiões estejam bem representadas)
- Vamos falar sobre o Folclore Brasileiro segundo a Obra de Câmara Cascudo (a referência passa a ser a Obra de Câmara Cascudo e não o todo)
- Vamos falar sobre o Folclore Nordestino segundo a Obra de Câmara Cascudo (uma maior delimitação ainda, não irá entrar o Folclore de outras regiões além da Nordestina).

4. QUESITO ARGUMENTO (Nota mínima 5,0 – Nota máxima 10)
Esse quesito julga o texto que conta o enredo que pode estar apresentado em forma de Argumento, Sinopse, Histórico do Enredo. Esse texto deverá explicar e fazer desenvolvimento teórico do enredo proposto.
Para este quesito o julgador deverá analisar:
- A qualidade da explicação de pontos importantes no enredo;
- Todo o conteúdo contido nesse texto, o texto deverá ser claro, que conte o enredo de forma criativa, coerente e interessante;
- A forma que o autor contou o enredo, a harmonia, tudo tem que estar de acordo com o tema enredo;
- Informações polêmicas devem ser bem justificadas e o senso comum deve ser evitado;
- O texto não pode conter informações erradas sobre o tema proposto e assuntos nele contidos.
- A existência de cópias de textos de outros autores sem os devidos créditos
O julgador deverá desconsiderar:
- Pequenas falhas de português (ou digitação), salvo aquelas falhas frequentes e que comprometam o entendimento do enredo;
- O número de páginas;
- Penalizar falhas de Título e Introdução apenas nos quesitos correspondentes e não no quesito Argumento.

Obs1: O concurso é receptivo para todos os tipos de textos, resumidos em forma de sinopse ou mais completos em forma de Argumento ou Histórico do Enredo. Não deve importar para o julgador o número de páginas de um enredo e sim qualidade deste, o conteúdo sempre deve ser priorizado no julgamento e não o número de páginas.
Obs2: O texto apresentado também pode ser apresentado em formato livre, podendo ser em prosa, verso, misto ou qualquer formato que a criatividade dos autores trouxer. Mais uma vez, no mesmo caso, o julgador deve se perguntar se a proposta estava coerente com o enredo e se o texto apresentado cumpriu o que se esperava. Muitas vezes um texto pode ser muito bonito, mas que não cumpre as funções básicas de explicar o enredo.
Obs3: É difícil delimitar o que deve ser ou não explicado, no geral é recomendado que o autor na sua sinopse deixe claro (no mínimo) os principais elementos presentes o enredo e a relação com este.
5. QUESITO DESENVOLVIMENTO (Nota mínima 5,0 – Nota máxima 10)
Esse quesito julga o Roteiro do desfile, os setores, os carros e as alas. É esperado que um bom roteiro seja possível imaginar uma boa setorização que são os capítulos que contam o enredo e a criatividade presentes nas alas e carros que proporcionem o julgador visualizar uma boa proposta de enredo.
Deve existir uma harmonia entre roteiro e sinopse. Imagina-se que a história seja ela qual for, seja contada duas vezes, na linguagem textual (sinopse) e na linguagem visual de alegorias e fantasias.
Por tanto, o julgador deverá analisar:
- A armação e o potencial de leitura do enredo representado em alas e carros (esses elementos ajudam a contar o enredo);
- A explicação dos setores e a harmonia das alas e alegorias dentro do setor correspondente;
- O equilíbrio entre os setores, salvo raras exceções (como abertura e encerramento ou uma proposta muito particular de arte), o tamanho dos setores não deve desproporcional;
- Este quesito também julga os elementos especiais, os significados no lidar com alas importantes como C de Frente, Baianas, Bateria, Mestre Sala e Porta Bandeira, Velha Guarda.
- Problemas de harmonia entre sinopse e roteiro
- Problemas de armação do roteiro que poderão eventualmente prejudicar o desfile em outros quesitos como Harmonia, Evolução, Conjunto.

ATENÇÃO: não é obrigatória a especificação profunda sobre cores de fantasias, esculturas, presença de elementos plásticos, materiais qualquer tipo. Isto tudo é facultativo, se apresentado é que deve ser avaliado;
Obs1: Se caso surgir setores inteiros e alas que não estavam presentes da sinopse nem de maneira implícita, o roteiro deve ser penalizado. Assim como nos casos que o roteiro estar fora de ordem em que a sinopse apresenta uma ordem, por exemplo, Monarquia, República, mas no roteiro o setor 3 é República e o setor 4 é Monarquia. Não tem justificativa para esses tipos de inversões. É vital para um bom Argumento (ou Sinopse) ele estar em ordem com o roteiro do desfile, por isso não é possível neste texto o setor 5 de um enredo estar antes do setor 2. Esse texto também pode gerar um samba enredo, que também estaria fora de ordem do roteiro se o texto possuir esse defeito. Também não é possível um desenvolvimento apresentar uma série de alas e alegorias que a Argumento completamente ignorou. É como se a escola apresentasse uma sinopse e aparece com alas e alegorias de outra escola.
Obs2: Enredo sem roteiro a nota deve ser 5,0
Obs3: Alas especiais – O julgador de enredo não deve ficar analisando e cobrando coreografia de Comissão de Frente. O que for apresentado na descrição pode ser avaliado, mas não é exigido, Por tanto, o jurado pode tirar ponto de erros, mas não de uma ausência elaborada de apresentação. Vale lembrar que isto é um Concurso de Enredos, não é estandarte de ouro para Comissão de Frente. É mais importante para nós analisar a coerência com o enredo. Mesmo caso serve para Bateria, Ms e Pb e ala de Baianas.
Obs4: É recomendado para os autores uma noção básica de armação no roteiro. Evitar posicionamentos bizarros das alas especiais.
Por exemplo:
Não é indicado um autor colocar o primeiro casal de Ms e Pb atrás do último carro da escola - O casal encoberto por alegoria é geralmente um erro, já fechando o desfile poderia ter problemas em se apresentar para os jurados, tempo curto, vai ter que correr.
Outro caso comum, ala de baianas logo depois da bateria - velhas senhoras que terão correr para tapar o buraco deixando quanto a batera entrar no recuo.
Atenção julgador evitar penalidades excessivas. É recomendado que opte por descontos moderados de 0,1/0,2/0,3 conforme os casos.
Obs5: O jurado não deve ser assustar se por acaso surgir um enredo com mais de 10 carros alegóricos. O limite do Décimo Concurso de Enredos é de 15 alegorias, não fizemos como aLiesa e reduzimos o nosso número. Ao contrário de birra resolvemos aumentar!  Pois consideramos que chega de engessamento de criação. Nossa proposta é sermos um espaço de vanguarda, por isso agora quem quiser pode vir com 15 alegorias. Assim o julgador não deve se preocupar com o número de carros e sim com o conteúdo deles. Mesmo caso é de acoplagens e tripés que no Regulamento estão como ilimitados, o que recomendamos e o jurado pode avaliar é o bom senso.
Obs6: Com a nova política de mais abertura para a livre criatividade, também poderão aparecer enredos com divisão diferente da atual setorização. Um enredo, por exemplo, poderá ser divididos em partes, cenas, atos, capítulos ou quadros. Isso significa que poderão aparecer eventualmente enredos com 12 alegorias, mas dividido em 4 partes, sendo cada parte composta, por exemplo, 12 alas e 3 alegorias (estilo carnaval da década de 90).

6. QUESITO EXPLORAÇÃO TEMÁTICA (Nota mínima 5,0 – Nota máxima 10)
‘           Este quesito deve analisar o êxito proposta de exploração temática do autor do enredo. É o quesito que deve analisar profundamente o enredo, dentro da proposta de exploração temática realizada pelo autor, apontar o que faltou, o que sobrou, o que poderia ser feito e não foi. Entra em julgamento todo o conjunto de enfoques dados, a riqueza nas mensagens abordadas, os sub-temas, enfim, tudo que a exploração deste tema poderá revelar.
Este quesito deve ser avaliado com base na proposta realizada pelo autor do enredo. Todo o enredo, explicitamente ou implicitamente, é realizado com base em uma proposta de exploração desse tema. Caberá o julgador analisar se essa proposta de exploração temática foi exitosa ou não. E também com base no que o enredo propõe trazer, analisar se cumpriu o que se esperava (mas sobre a proposta de exploração ver observação1 deste quesito).
A proposta de exploração temática precisa estar presente de alguma maneira em todo o enredo, ou seja, interligado, se relacionando de alguma maneira, seja qual for, com o que será mostrado.

Este quesito julga introdução, sinopse, roteiro, todo o enredo.

Assim com base no exposto, o julgador deverá:
- analisar a proposta de exploração do tema realizada pelo autor;
- observar a criatividade da exploração, a riqueza nas mensagens abordadas, sendo o tema inédito ou não;
- analisar o destaque dado a elementos importantes na proposta do enredo (que não podem ser ignorados, nem colocados em segundo plano). O julgador deverá considerar que nem sempre tudo poderá ser retratado, neste caso, o julgador deverá procurar analisar se o que faltou foi representativo ou não;
Obs1: O julgador deve priorizar julgar o enredo com base na proposta do autor, se ele propõe falar, por exemplo, dos Felinos Selvagens, o julgador não pode exigir que o autor tenha falado sobre gatos (gato é um felino doméstico, não é selvagem). Apesar disso, nada impede que o julgador critique a proposta de delimitação realizada pelo autor, se por acaso estiver convencido que ele tinha pontos melhores para abordar e deixou de fora. Assim caberá no caso o julgador dar-se por satisfeito (ser convencido da proposta) com os “felinos selvagens apresentados” ou se considerar que não convenceu poderá fazer descontos.
Outro exemplo: Uma proposta de falar sobre os "dedos" da Dercy Gonçalves, seria um exemplo de extrema delimitação de um enredo. O autor teria toda uma carreira de uma pessoa centenária, mas resolve falar dos dedos da mão dela... Ignorando totalmente tudo que ela fez... Esse tipo de proposta teria que ocultar algo magnífico para convencer. Por tanto, não basta propor qualquer coisa e ser fiel a ela, é preciso também convencer dessa proposição.
Obs2: Evitar preconceitos em cima de um tema, um tema considerado ruim pode se revelar um bom enredo quando apresenta uma bela exploração temática.
Obs3: Um ótimo tema enredo também pode ser explorado de maneira equivocada e não gerar um bom enredo. O julgador poderá “abonar” o bom gosto na escolha do tema, mas também poderá fazer descontos pelos equívocos e eventuais decepções que a exploração temática pode causar. Exemplo: Resolver falar sobre Nathalia Timberg, uma grande atriz, mas na exploração do enredo o autor simplesmente ignorou a sua carreira, passou 5 setores falando sobre o Rio de Janeiro, cidade que a homenageada nasceu.
7. QUESITO CONJUNTO ARTÍSTICO (Nota mínima 5,0 – Nota máxima 10)
Esse quesito julga todo conjunto de criação artística contida no enredo, deve ser o quesito para apontar os méritos, as inovações, os acertos de um enredo. É momento de pensar no campeão, por isso o comparativo deve ser mais do que nunca presente.
A criatividade não deve apenas se basear no ineditismo, um enredo pode ser comum, mas apresentar uma exploração de temática com proposta totalmente de reinvenção.
O julgador pode se fazer essa pergunta: O que este enredo tem de especial? Ele tem algo que faz dele um enredo especial?
Este enredo está pronto para o desfile? Foi adaptado para o carnaval? Que escola se interessaria por esse enredo (podendo levar em conta diferentes cidades e estilos)? São perguntas que o jurado pode se fazer.
Recomendamos que o jurado faça uma avaliação livre, observando os acertos, reconhecendo os méritos e mais do que nunca comparando os enredos. Diferenciando os bons enredos dos grandes enredos que serão os campeões deste concurso, esta nota mais do que em qualquer outro quesito pode ser comparativa.
O julgador deverá considerar:
- Tudo que foi apresentado procurando premiar os méritos, os acertos, as inovações e a criatividade do enredo apresentado.
O julgador deverá desconsiderar:
- Pequenas falhas, questões de pouca importância para o conjunto do enredo. Não é momento de fazer uma média das notas, nem ficar repetindo penalidades de outros quesitos.

Obs1: O julgador pode dar nota diferente de 10 nos quesitos anteriores e chegar nesse e resolver premiar o enredo com nota 10. Também o contrário pode acontecer dar nota 10 nos quesitos anteriores e agora chegar e dar um 9,9 ou 9,8. Não é um quesito para premiar enredos corretos, este deve ser um quesito para pensar no que os enredos tem de bom!
Obs2: É muito difícil conceituar a criatividade quanto mais fazer a sua avaliação, ela extremamente subjetiva. Mas para encontrá-la podemos constatar alguns pontos como:
- Fazer pensar, propor reflexões sobre variados aspectos;
- Trazer, nos fazer descobrir coisas;
- Inventar, trazer invenções, inovações, esforço pela inovação e originalidade;
- Reinventar o velho ou até questionar o novo trazendo o velho de volta;
- Integrar ou fazer associações consideradas distantes;
- Interagir, oferecer diversão e entretenimento;
- Revelar significados até então ocultos, olhares até então pouco retratados.
Um enredo não precisa se encaixar em todos os pontos citados, pode bastar um ponto e ele ser considerado criativo. Depende tudo do que ele trouxe, “dos pontos” que ele ganhou com tudo que nos proporcionou e de acordo com a sua proposta. Ainda cabe destacar, que criatividade não deve ser encarada puramente como humor e coisas engraçadas, tudo vai da proposta, um enredo pode ser sério e trazer e fazer proposições tão criativas quanto um sátira.
Por exemplo, o elogiado enredo de Rosa Magalhães sobre Fernando Pamblona que itens ele poderia se encaixar? Ele é criativo?
Nesse contexto poderíamos citar:
O item 1 “Fazer pensar, propor reflexões sobre variados aspectos” e “reinventar o velho ou até questionar o novo trazendo o velho de volta”. Justificando resumidamente foi um enredo que fez uma homenagem para um grande mestre do carnaval, trouxe o seu legado, fez pensar e nos levou sobre a refletir a história das escolas de samba e até sobre os rumos do carnaval atual. Um dos pontos positivos que esse enredo trouxe foi até uma reafirmação da importância dos enredos Afros em uma festa de origem africana.

COMISSÃO DE OBRIGATORIEDADES
Esse quesito é obrigação da organização do concurso. A indicação do julgador é facultativa. Ele se desejar pode sugerir descontos, mas esse quesito é com a Organização do Concurso.
As obrigatoriedades são importantes para exigir dos autores uma melhor apresentação de seu enredo buscando adequar os enredos para uma mais completa avaliação possível. Como estamos em um concurso não poderemos esperar que seja campeão do  concurso simplesmente alguém que copiou e colou um belo texto da internet no Word e chamou ele de enredo. Vamos querer observar em primeiro lugar se este texto sofreu uma adaptação para o Carnaval. Por isso também é solicitado uma divisão dos setores, dar nome a alas e carros e mostrar criatividade com alas fundamentais das escolas de samba como Bateria e Baianas. Lembrar que o Casal de Mestre Sala e Porta-Bandeira precisa de um significado no enredo.

SÃO ESSAS AS OBRIGATORIEDADES:
Título para o enredo: O enredo precisará ter um nome.
Texto de introdução ou Justificativa: E um pequeno texto de apresentação, uma rápida explicação inicial do que virá por aí é encontrado depois do título.
Sinopse ou Argumento: Texto que contará o enredo. Podendo este ter menos de duas ou até mais de 50 páginas. Pode ser em prosa ou verso, misto, qualquer formato é aceito.
Roteiro: Após a sinopse apresentar uma explicação inicial para os setores separadamente e apresentar nome e número para alas e carros. É facultativo explicar ala a ala, espera-se que a Sinopse e texto inicial dos setores já cumpra essa função. A explicação dos setores deve ser o significado do setor para o enredo, como se fosse um capitulo, o autor deve dizer resumidamente o que será mostrando nesse capítulo. 
Elementos Especiais: Será obrigatória a presença no desenvolvimento de Bateria, Casal de MS e PB, Baianas, Velha Guarda e Comissão de Frente.
Carros alegóricos: Imaginar um enredo para ser desenvolvido entre 1 e 12 Alegorias, podendo fazer o uso de tripés (o número de tripés é ilimitado).
Tamanho do arquivo: Não poderá exceder 5 MB.
Assinatura: No mínimo é exigido nome identificação (apelido, nome fictício ou verdadeiro) e e-mail para contato (depois do título ou no final do enredo, esse e-mail pode ser divulgado ou não, o autor deve avisar).
O autor pode apresentar desenhos e figurinos (fotografias de fantasias não entram na contagem). Mas isto entrará em julgamento como imagem comum, ilustração comum. O número de desenhos/figurinos, incluindo carros alegóricos não poderá ultrapassar 10. Ultrapassando o autor terá o desconto de -0,1
Não existe limite para o número de imagens.
Observação importante: Alguns podem optar por misturar Sinopse e Desenvolvimento, apresentando em um único texto. Isto é aceito pelo Concurso se este texto cumprir as funções que se espera dele. Sinopse explicar o enredo, Roteiro apresentar a divisão dos setores (capítulos) e nome e significado para as alas.

Penalidades:
O não cumprimento das penalidades resultará nos seguintes descontos:

Título para o enredo: -5 pontos
Introdução: -1 ponto
Sinopse ou Argumento: -10 pontos (para casos que só apresentou a divisão de alas, sem nenhuma explicação, roteiro “cru”) ou sinopse copiada de outro enredo.
Roteiro: - 20 pontos
Divisão de Setores no roteiro: -3 pontos
Explicação dos setores no roteiro: -2 pontos (não é descontado se ao menos for feita uma divisão de setores na sinopse que deixe claro os capítulos que serão apresentados, sinopse que já se apresenta como Setor 1, Setor 2). Tendo sido realizado uma explicação parcial dos setores, faltando um ou mais setores, o enredo perderá -0,2 por cada setor.
Divisão de Alas: -3 pontos
Número de alegorias: Cada carro que ultrapassar 15 ou for inferior ao número de 1, será descontado 0,1 ponto. Mas a penalidade será efetuada apenas em caso de ter sido apresentado o roteiro.

Elementos especiais: Velha Guarda: -0,6 ponto. Bateria, Baianas, Ms e Pb (no mínimo 1 casal) ou Comissão de Frente: -1 ponto cada. Alas sem significado o enredo ou nome receberão metade da punição. Velha guarda sem significado no enredo ou sem nome receberá penalidade de 0,3.

Enredo sem Assinatura: -0,1 (deve conter no arquivo de texto de enredo uma assinatura, a autor pode ser anônimo, mas deve deixar um contato)
Enredo em Word: O Arquivo deve ser em Word, apresentações em pdf ou jogados no e-mail o autor perderá 0,2.

Tamanho do arquivo: Deverá conter 6000 KB, perderá -0,1 a cada 500 kb ultrapassado.  Assim podemos notar que o concurso ainda tem uma tolerância de 499 kb, penalizando a cada 500kb ultrapassado.
Advertência por normas de conduta: Após a terceira advertência por excesso de agressões, ofensas, entre outras questões o participante poderá ter o seu enredo punido em 0,01 (1centésimo), posteriormente perderá 0,02, 0,04... Dobrando a penalidade até atingir aproximadamente 1 ponto.
Sub-quesito Referências – Esse sub-quesito fará parte da Comissão de Obrigatoriedades e terá o peso de 20 pontos. Ele não e julgado pelos jurados, será julgado pela Comissão de Obrigatoriedades (o jurado se desejar poderá fazer desconto de nota nos quesitos Argumento, Roteiro, onde ocorre a cópia)...
10 pontos para Sinopse e 10 pontos para demais textos. Todo o conteúdo que obtiver plágios resultará em descontos por esses itens.
Passada a Comissão de Obrigatoriedades, todos enredos receberam essas duas notas, que poderão variar de 0 até 10.
Ex:
Enredo A 10 – Sem plágios na sinopse
Enredo B 9.9 – Tem um pequeno trecho de cópia da internet sem citar referência.
Enredo C 0,0 – A sinopse está copiada na integra da internet
Enredo D 9,1 – O enredo possui vários trechos copiados na internet, 5 parágrafos sem citação.
A nota será subjetiva e dosimetria levará em conta o tamanho do enredo e tipo de textos, maior punição para textos mais informais (com conteúdo de emoção, analises complexas e poemas), menor punição para conteúdo meramente informativo (os wikipedianos).


Marcadores