Postagem em destaque

VOTE AGORA!!! SUPERCAMPEONATO - VOTE AGORA PARA DECIDIR O SUPERCAMPEÃO

VOTE AGORA!!! Tem um título em jogo e você poderá decidir o quem será o supercampeão do Concurso de Enredos 11!!! Confira os 5 e...

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!

Atenção carnavalescos e presidentes de escolas de samba!
Gostou de uma ideia, Clique na lâmpada e leia a nossa recomendação!

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Enredo 10: Bárbara não lhe adora


Título


Introdução
Depois do choque de monstro, se prepara bee, que vem aí um enredo totalmente gossip. Com inspiração na grande e saudosa crítica teatral Bárbara Heliodora, vamos mergulhar no universo da fama.
Vamos nos apropriar da acidez das críticas de Bárbara para gongar muito. Por isso, nossa inspiração vem da peça teatral Bárbara não lhe adora, uma grande brincadeira com o pouco cuidado com as palavras que nossa musa ostentava.
Vai ser babado, confusão e gritaria. Vem!

Sinopse
Bárbara Heliodora ficou imortalizada na história do nosso país como crítica teatral que não usava meias palavras nas análises dos espetáculos. Seu temperamento, digamos assim, explosivo, gerou uma montagem teatral chamada Bárbara não lhe adora, que ironizava o terror que ela provocava nos diretores quando ia assistir suas peças. Também, o título da peça virou jargão no universo dos famosos, uma espécie de sinônimo para gongação.

Assim, nosso enredo começa no fictício universo que a causativa Bárbara decide comentar, utilizando os blogs da Fabíola Reipert e do Leo Dias, o universo dos famosos brasileiros. Julgando sem piedade os fiascos, contando todos os babados, e destruindo algumas imagens que os assessores de imprensa levam muito tempo para construir.
E começamos pelas famílias comercial de margarina, como são bonitas, não? Mas é uma pena que nem sempre isso se mantém como a Deusa da Rosana. E que curioso o caso dos atores que foram gravar uma minissérie chamada Amores Roubados e acabou que a atriz realmente roubou o amor da ex-bbb. A assessoria de imprensa demorou, a rede de televisão fez uma operação limpa-barra para o galã, mas a história toda vazou e virou rebuliço nas redes sociais. Acabou o belvita. Mas teve vegetariana que comeu salsicha em propaganda, pegou um taxi e quebrou a casa toda porque o marido, mega super ultra bom-moço, aparentemente teria engravidado uma coleguinha. O caldeirão ferveu e a casa veio abaixo. Abafa! Mas não tem como falar de táxi e não lembrar outra família feliz, ou melhor, um pai de família feliz que adora oferecer uns trocados para motoristas de táxi em troca de uma distração oral. É pra deixar o cabelo em pé! Mas se tem os mais despudorados, tem também os mais contidos, que de vez em quando gostam de fazer algumas brincadeiras on line. Um google simples e veremos milhares de atores e atrizes que caíram fazendo gracejos sexuais em web cams. O mais clássico é o eterno cabeção da malhação que tirou um consolo de dentro de um saco de pão, mas tem também outro ator, a vaca faz Mu, e é Rosa, que caiu na net e até processo deu para sumirem com o material da internet. Que maldade, moço! E para finalizar o setor das famílias felizes, vamos relembrar o caso do apresentador que foi para os EUA e trouxe a mesma sandália de presente para a esposa e para a amante. Pode isso, Arnaldo?

E se é difícil manter a pose família feliz, imagina só manter a fama de pegador? Não, não é fácil, e muitos até se esforçam, mas muitas vezes pequenas notas conseguem mostrar para o público que a virilidade existe, mas as moças vão ficar chupando o dedo se dependerem dela. Vamos brincar com os boatos sobre algumas sexualidades. O primeiro boato, se é que é boato, já saiu até em entrevistas oficiais, e não é por nada, mas quem nunca duvidou da rainha dos baxinhos e da musa da mpb? Amigas quase inseparáveis, despertam boatos por onde passam. Se essas brincam com a situação, a ruiva da bobonews e cantora da catedral não são tão explícitas nas suas relações. E não parece uma relação muito amistosa, já que são fortes os boatos que alguma delas saiu de casa. As moças, não tão moças moram juntas em Petrópolis e a jornalista ficou com a cantora após terminar seu casamento. Bafo! Por falar em casamento, tem aquele galã jovem que ficou anos com a cinquentona. Algumas más línguas dizem que era fachada enquanto a relação na verdade era mantida com o filho dela. O fato é que o galã tenta, mas até disputa judicial por um apartamento ele já protagonizou com o ex cacho. Sem contar que tem fama de não ter órgão sexual muito avantajado. Mas é tão bonito, que isso praticamente não importa, né migas? Por falar em bonito, teve o casal que chocou a produção da novela que tinha fina estampa. O caso foi tão explícito que o pai capoeirista teve que intervir porque não queria arranhar a imagem da família, “sem mais”.  Já o outro, que gosta da pepa PIG e do OZZY, ficou rosa chiclete com o fim do namoro. Uma pena, porque a nova geração estava parecendo estar um pouco a frente da antiga nesse quesito. E fechando esse assunto tem o caso mais sarado de todos. Gutão é um personal muito dedicado e ciumento, que chegou a brigar com as fãs de seu cliente. Muito amor, né gente? Migas, façam a Ivete e a Xuxa e não levem esse setor a mal, é brincadeira.

E para fechar o enredo com chave de ouro, opa péra, miga. Ouro não! Vamos fazer aquilo que Bárbara mais gostava, gongar. Mas gongar o floop, ou seja, aquilo tudo que deveria ter sido ótimo e não foi. Momentos inesquecíveis da nossa televisão, mas não por serem bons. E como não lembrar da falsa entrevista com o PCC exibida por gluglu, um fiasco sem tamanho na guerra pela audiência dos domingos.  O fiasco é tamanho, que mata de inveja as colegas e ganha até uma página especial no wikipedia. Fiasco logo acompanhado pelo apelativo Faustão com seu sushi erótico. Sim, migas. Domingo a tarde, a família tradicional brasileira sentada em frente à televisão e uma moça pelada coberta por pequenas fatias de peixe cru. Imagina a cena!  E por falar em cena como esquecer Vera destruidora Fischer na novela ridícula Salve Jorge, falando “eu só faço a contabilidade”. Ficou tão feio, mas tão feio, que virou até bordão na internet. Mas Verinha não foi a única a passar vergonha, como não esquecer Sandro Cardoso, namorado da deusa suprema Susana Vieira, que justamente por estar com ela conseguiu um papel de mágico na péssima Fina Estampa? Foi horrível, flopou. Fiasco. Mas nenhum fiasco se compara ao cigano Igor, imortalizado pelo Ricardo Macchi na novela De corpo e Alma. Ficou para a história da televisão. Foi duro, foi difícil. Porém difícil mesmo é a vida de quem tenta ser famoso. E aí vem o mico do teste do sofá. E não é que tem vídeo na internet dando detalhes desse babado? Se liga Dennis!



Desenvolvimento

Setor 1
Não lhe adora
O primeiro setor da escola apresenta Bárbara, aquela que não lhe adora e suas principais fontes de informação e fiéis escudeiros, Fabíola Reipert e Leo Dias.


Comissão de Frente
Não lhe adora
São 15 Bárbaras julgando todo mundo. Elas trazem plaquinhas com alguns escritos, como corno, canastrão, vaca, e em sua coreografia apontam para a plateia e para o júri, condenando todo mundo.


1° Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira
Caem as máscaras
O casal vem representando todas as máscaras que irão cair ao longo do desfile. Plaquinhas com as palavras babado, confusão e gritaria serão levantadas pelo mestre-sala em determinados momentos da sua coreografia.


Ala 1 - Baianas
Escudeiros
Todo mundo tem uma ala antes do abre-alas, até o acesso. Então traremos as simpáticas baianas (esquecidas no concurso passado) representando os fiéis escudeiros de Bárbara, fonte das suas fofocas, Fabíola Reipert e Leo Dias.


Carro Abre-Alas
Vou te gongar
O abre-alas traz Bárbara pronta para te gongar, com uma escultura gigante de um gongo. Também, em estilo escudeiros medievais, estão representados Fabíola Reipert e Leo Dias.

Setor 2
Comercial de margarina
O segundo setor traz as confusões das famílias felizes que os assessores de imprensa sofrem para construir. E bota confusão nisso!



Ala 2
Amores roubados – Vai verde!
A ala representa a família que ficou unida até terminar o contrato com a belvita, mas que foi “destruída” pela vai verde na gravação da minissérie amores roubados.

Ala 3
Caldeirão ferveu – Fui de táxi!
A ala tem a fantasia de um caldeirão fervendo com uma plaquinha de taxi na cabeça e relembra o rebuliço na família feliz.

Ala 4
Bola Gato – Na orla, ando.
A ala lembra o caso do marido da atriz global que aborda motoristas de táxi oferecendo dinheiro em troca de uma distração oral. Também traz a plaquinha de taxi, uma bola, um gato e um desenho do Moraes andando na orla.

Ala 5
No saco do pão – Era Rosa e proibiu
A ala relembra os famosos que caíram na net e apresenta duas fantasias. Uma de saco de pão insinuando um brinquedo sexual e outra em tons rosa com simbologia de proibido.

Carro 2
Que MIcON – uma sandália para Juju
A alegoria representa a sandália que um distraído apresentador comprou de presente para sua assistente de palco, “sem perceber” que era igual a sandália que ele deu para a própria esposa.

Setor 3
Vai faltar espaço neste armário
Este setor da escola vem brincar com quem está e com quem acham que está dentro do armário.


Ala 6
E vai rolar a festa – do estica e puxa
A ala representa o famoso caso da rainha dos baixinhos com a musa da mpb.

Ala 7
No deserto, que atravessei, ninguém me viu Neubach
A ala vem com fantasia de catedral e peruca ruiva.

Ala 8 – Bateria
GIA – nequinha
A bateria vem representando um galã que já namorou cinquentona e já disputou apartamento com um ex cacho.

Ala 9 – Passistas
Capoeira rosa chiclete
São duas fantasias, as mulheres vem de rosa com LEDs (é obrigado a ter ala com LED, você precisa ser moderno, precisa ter LED na ala, PRECISA!) e os homens vem com fantasias de capoeiristas.

Carro 3
Meu personal, minha vida
O carro vem como uma grande academia, com destaque para duas estátuas de dois homens malhando. A borda do carro é toda decorada com motivos sertanejos.

Setor 4
Achei ofensivo, apaga!
O setor vem relembrar péssimos momentos da nossa televisão, aqueles que de tão ofensivos para nossos olhos e ouvidos dá vontade de mandar apagar.



Ala 10
PCC fake
Não é só a autora desse enredo que é fake, a entrevista do Gugu com integrantes do PCC foi totalmente fake e a ala vem relembrar esse fato.
Ala 11
Sushi erótico
A fantasia é um macacão cor da pele do componente (porque somos diferentes né, migas?) com algumas fatias de salmão nas partes genitais. Plumas em tom salmão acompanham, já que é desfile de escola de samba e Império Serrano 91 está aí pra mostrar que é melhor usar pluma.

Ala 12 – Compositores
Contadores – Só faço a contabilidade
A ala relembra a frase da Vera Fischer falando “Eu só faço a contabilidade”.

Ala 13 – Velha Guarda
Mágicos
A ala vem elegantemente vestida, com uma cartola de mágico na cabeça. Também trazem no peito uma foto da Susana Vieira costurada em um broche bafo.

Carro 4
Eu. Te. Amo. Dara.
O carro vem todo em tons ciganos no estilo Max Lopes, relembrando o Cigano Igor. Ícone da canastrice na televisão.


Ala 14
Teste do sofá
Homenagem a Dennis Carvalho e a gritaria do teste do sofá.






Informações complementares
O enredo é para uma escola do grupo de Acesso.
A partir do setor 2 não são usadas imagens para evitar complicações jurídicas, pois alguns babados são fortes.
Os links de suporte do enredo, para conhecimento das situações:
Bárbara não lhe adora
Amores roubados
Caldeirão ferveu
Bola gato
Saco de pão
Rosa
MIcON
Festa do estica e puxa
Catedral
Nequinha
Rosa chiclete
Personal
PCC
Sushi
Contabilidade
Mágico
Cigano
Sofá


Assinatura

Enredo 9: Medo


                  Enredo: Neni Cabral

Medo

JUSTIFICATIVA

Desde tempos imemoriais, o homem sente uma atração e um prazer inexplicável por tudo o que produza medo.
Para o sociólogo Joost A. M. Merloo, que pesquisou a sociologia do horror em situações de guerra, sentir medo, ler livros e assistir filmes de terror são atividades vitais para o comportamento humano, pois têm a capacidade de treinar as nossas defesas contra expectativas misteriosas. Essas histórias terríveis ajudam a amenizar os nervos e a nos preparar para os verdadeiros perigo.
O ser humano é um animal “racional” muito primitivo, ele faz questão por vezes, de espalhar o medo para benefício próprio, para mostrar hierarquia dentro de uma comunidade, como simplesmente fazer os outros seres humanos ao seu redor sentir medo por puro prazer e maldade.
O que vamos mostrar são medos fantasiosos, medos vividos e medos que vivemos. Queremos mostrar como o homem usou e usa o medo para mostrar o seu pior lado, como também seu lado mais curioso e porque não inocente.


Sinopse

Dizem que a noite é sempre mais escura antes do amanhecer, com ela nossa imaginação voa por caminhos perigosos, o medo chega rapidamente em nosso corpo, nossa mente brinca com nossa razão, vemos o fantasma de nossos sonhos logo a frente, lutando ferozmente contra o monstro da lamina mortal. Enfim acordamos, coração acelerado, foi tudo um sonho, mas será que isto tudo só existe em sonhos?
A vida nos traz o medo desde muito tempo, raios, trovões, relâmpagos atordoando a cabeça dos primitivos, deuses ferozes com histórias turbulentas dominavam o imaginário fazendo-os assim adorados e temidos.
O homem evolui assim como evolui sua loucura e fascínio por proporcionar e sentir medo. O coliseu de Roma e sua “festa” de morte e sangue trazia um espetáculo cruel onde gladiadores e leões eram celebrados por suas mortes.
Medo e sangue se misturam no imaginário ou na realidade. Um príncipe romeno chamado Vlad Tapes (Drácula) fez da mistura de sangue e medo, sua lenda.  Ele tinha um hábito sinistro: empalar seus inimigos turcos. A cerimônia da empalação era um grande baile, sempre presenciada avidamente pelos súditos de Vlad Drácula. Consistia em espetar os prisioneiros vivos em afiadas estacas de madeira e assistir à prolongada agonia dos infelizes.
Com o passar o tempo execuções mais rápidas porem igualmente horrendas de Vlad Tapes se tornaram populares na antiga Europa, o espetáculo da guilhotina era acompanhado por milhares de pessoas, senhoras acompanhavam seus maridos e levavam bordados para se entreter até chegar a hora da execução. O enforcamento se tornou um ato público muito popular, as pessoas

Chegavam ainda na madrugada para não perder um minuto da “festa”.
O tempo passa, e o homem se torna cada vez mais cruel e o medo mais aterrorizante. Nos EUA é fundada a Ku Klux Klan que apoia a supremacia branca e o protestantismo, perseguindo negros. Na segunda guerra os campos de concentração serviram para o extermino de milhões de pessoas, os comandantes nazistas filmavam toda a atrocidade e depois projetavam os filmes em grandes sessões enquanto tomavam chá.
Conforme anos e décadas passam, o medo se torna necessário para imaginação das pessoas, crianças querem ouvir repetidamente a história de João e Maria e como foram enganados pela bruxa, adultos buscam desesperadamente encontrar o fantasma da tela no cinema, seres de outros planetas assustam e fascinam a todos, o nojento e asqueroso se torna popular, as pessoas buscam sentir o medo de mentira pra esconder o medo de verdade.
O ser humano na verdade não evoluiu, está tão primitivo e violento quanto antes, nossos medos agora são outros, violência urbana, violência política, intolerância religiosa, medo da guerra virtual, medo de guerra biológica.
Dizem que a noite é sempre mais escura antes do amanhecer ... pensando bem acho que não, nossos medos não vem do escuro, nossos medos vem da luz, da claridade que nos mostra as coisas ruins, só nos cabe escolher, enfrentar ou viver com medo.






Desenvolvimento


1° Setor – Perigos da noite – Fantasmas, monstros e Deuses.
Nossos sonhos por vezes são tão reais, a mente do homem sempre acreditou naquilo que o proporciona medo, seja hoje ou a muito tempo atrás, não importa o quanto absurdo seja esse medo.

Comissão de Frente (Freddy x Jason) Serão sete Freddys e setes Jasons, estes dois personagens clássicos de filme de terror irão interagir com uma moça que aparentemente foge de ambos, como em seus respectivos filmes, eles sempre perseguem uma jovem bonita, coreografia onde ambos simulam uma luta pela moça, e por fim junto com a jovem acabam sambando num total ritmo carnavalesco.

1° Carro > Abre-Alas (Noite dos Deuses)  
Neste carro teremos grandes esculturas em acrílico ou material semelhante de Deuses como Zeus, Metis, Prometeu entre outros, todos mudando de cor, imagens feitas com os mesmos materiais de raios, fogo.
Todos elementos do carro mudam de cor em sequência, preto com relâmpagos, branco com feixes de luz ou raios, vermelho, fogo. Tudo simulando uma possível ira dos Deuses.
Dois destaques maiores com fantasias luxuosas em branco e pedras da mesmas cor. Alguns poucos componentes com fantasias menores representando os servos dos Deuses.


2° Setor – Neste setor mostraremos a carnificina nas arenas romanas.

1° Ala: Velha Guarda (Reis e Rainhas) Nossa velha guarda representa os reis e rainhas romanos, os incentivadores maiores do “espetáculo” das arenas.  Os homens e mulheres com túnicas na cor ouro, mulheres com acessórios como pulseiras e brincos grandes e claro nas cabeças coroas.
2° Ala: (Povo em festa) Túnicas brancas com detalhes em vermelho, um véu para cobrir as mulheres e o homens um capuz. Esta ala mostrar o povo e sua alegria de ir ao “circo” da arena
3° Ala: (Os nobres romanos) Fantasias na cor prata, grande muito luxuosa, detalhes em pedras azuis, na cabeça coroa de louros dourada e costeiras em tiras douradas. Os nobres da época faziam questão de mostrar toda seus poder e dinheiro nesses eventos.
4° Ala: (Pão e Circo) Em cores vibrantes bem colorida, esta fantasia representa toda a euforia dos romanos com as atrocidades das arenas, na cabeça um chapéu representando um prato com frutas, nas ombreiras de um lado pão, do outro taças de vinhos, o desenho da fantasia dá a entender a roupa de um palhaço.
5° Ala: (Gladiadores) A típica e obvia fantasia de Gladiador que ficou conhecida através dos tempos, mas em prata e bronze com um capacete cobrindo quase todo o rosto.
6° Ala: (Leões) Na cabeça o chapéu é a cabeça de um leão, ombreiras lembram a crina do animal, a cor da fantasia lembrando a pele do leão. Ala representa os leões que eram jogados nas arenas para devorarem os gladiadores.

2° Carro > (Arena) 
Uma grande arena é o carro, na parte de trás, arquibancadas do povo com espaço ao meio dos nobres, nos dois lados do carro, grandes bigas com dois cavalos cada, e dois ocupantes, ao centro da arena gladiadores com lanças, escudos lutam, ao chão cabeças e corpos (bonecos) A frente do carro, três grandes leões com expressões ameaçadoras.




3° Setor – O medo a o fascínio pela lenda do conde Drácula será contada neste setor.

7° Ala: (Os súditos) Fantasia branca com detalhes em vermelho sangue, costeira parecendo asas de morcego. Os súditos do conde “Drácula” não perdiam um baile sedentos para ver sangue.
8° Ala: (Turcos) Em vermelho com pequenos detalhes em branco, grandes chapéus e uma longa capa nas duas cores da fantasia. Esta ala representa os inimigos turcos que sofreram nas mãos do conde.
9° Ala: (Comida e sangue) Durante os bailes do conde eram servidas muitas comidas deliciosas e para beber lindas taças de sangue. Fantasia toda em ouro, aparentando muito luxo, nos ombros representação de comidas, o chapéu seria a taça de sangue.
10° Ala: (Luxo e riqueza) O conde fazia questão de ostentar sua riqueza para todos, para ele a riqueza e o poder fazia-o ser cada vez mais temido. O desenho da fantasia como se fosse uma armadura, toda nas cores, bronze, prata e ouro.
11° Ala: (O Conde Drácula) Também parecendo uma armadura, mas com características e visual que o mundo conheceu principalmente em filmes, esta ala apresenta, o conde Vlad, como o próprio Drácula.  Nas cores preto e prata, com pedras das mesmas cores, muito brilhosa e uma grande capa preta.

3° Carro > (Cerimonia da Empalação) 
O carro seria um grande salão, ao fundo grandes vitrais com imagens demoníacas, a frente destes vitrais, seria um altar com caveiras e também com figuras demoníacas, velas espalhadas, tudo com muito luxo e riqueza. Ao centro do altar a figura do conde sentado em seu troco, (Fantasia exatamente como a figura ao lado)
No meio do salão, grandes estacas com vários inimigos espetados e sangrando, (Bonecos grandes) bem reais com expressões de dor.
Entre as enormes estacas vemos os súditos muito bem vestidos dançando e sambando.
A frente e dos lados do carro, temos esculturas ou bonecos de corpos e caveiras.


4° Setor – O “espetáculo “da forca e guilhotina na antiga Europa serão retratados neste setor

12° Ala: (Os ricos) os mais ricos garantiam os melhores lugares na “festa” uma grande casaca em vermelho, calças pretas com pedras, costeira com moedas de ouro, chapéu uma cartola.
13° Ala: Baianas (Damas Bordadeiras) Nossas queridas baianas irão representar as mulheres dos nobres que chegavam ainda cedo com seus bordados para esperar a hora da execução.
Vestido em branco com BORDADOS de flores vermelhas em três camadas.
14° Ala: (Com a corda no pescoço) Em cor laranja com manchas pretas, e alguns rasgados, esta alas presentara os enforcados, Entre os ombro e cabeça, fara parte uma forca medieval, de material leve para uma fácil evolução dos componentes.
15° Ala: (Perdendo a cabeça) Fantasia grande em azul com detalhes pretos (sem cabeça) representando roupas da época, nessa ala os componentes desfilaram com suas cabeças na mão, as imagens das cabeças com expressões engraçadas para não tornar muito agressivo.
16° Ala: (Carrascos) Toda em preto com pequenas detalhes para dar um brilho em pedras, capuz da mesma cor, e um grande machado. O grande algoz não poderia faltar, esta figura ameaçadora até hoje é lembrada e gera muito medo.

4° Carro > (Morte na praça) 
Ao fundo do carro nas duas laterais temos duas grandes esculturas de dois carrascos, roupa e capuz em preto com detalhes parecendo sangue em vermelho, mas o capuz no rosto com expressões (como se estivessem rindo) e grandes machados nas mãos.
Também ao fundo um grande edifício como na foto ao lado, nas janelas vários componentes felizes cantando, junto grandes bonecos pendurados enforcados, bem reais (mas com expressões engraçadas)
Ao centro a guilhotina medieval, junto a ela dois carrascos e mais dois presos, ao lado os soldados da guarda, com fantasias exatamente como na foto ao lado.
E a frente do carro e laterais, mulheres fazendo grandes e lindos bordados enquanto esperam as execuções.
5° Setor – O medo e o horror causados pela Ku Klux Klan e o nazismo estarão neste momento

17° Ala: (KKK) Tradicional roupa da Ku Klux Klan, grande bata com capuz pontudo, mas desta vez todas coloridas de diferentes cores, chamativas e brilhantes.
18° Ala: (Perseguidos) Esta ala retrata todas as pessoas perseguidas pela KKK, fantasia retratando um terno do da década de 30 ou 40, com algumas partes QUEIMADAS, corda envolta do pescoço do componentes, costeiras e chapéus em forma de cruz, como representação de fogo. A corda no pescoço representa as vítimas enforcadas, o fogo representa o fogo nas cruzes como uma das marcas do grupo.
19° Ala: (Judeus) Ala de passo marcado, componentes evoluem como se estivessem sem forças e debilitados. A fantasia é a roupa que infelizmente ficou conhecida nos campos de concentração, branca com listas pretas, e chapéu, tudo bem surrado e sujo.
20° Ala: Bateria (SS) A bateria vira de SS principal exército do governo nazista. Com uma vestimenta e quepes iguais a dos soldados, mas no lugar do símbolo nazista a letra X, como na foto baixo, inspirado no filme o Grande Ditador de Chaplin.
21° Ala: Passistas (Vênus Negra) Nossas passistas irão representar Josephine Baker, cantora e dançarina que trabalhou como espiã para resistência francesa contra a ocupação nazista.
Em preto e dourado uma fantasia pequena e sensual, com um pequeno véu dourado, na cabeça uma pequena coroa pra dar um charme e alguns acessórios como pulseiras, colares entre outros.
5° Carro > (Campo de concentração) 
Na parte de trás do carro seria o portão de Brandemburgo de Berlin, e bandeiras nazistas queimadas em sua volta, como na foto ao lado a Suástica das bandeiras seriam substituída por letras X, Em meio as colunas do portão telões com imagens de presos em campos nazistas, as imagens menos chocantes é claro (representação do fim de tarde onde os soldados se “divertiam” vendo filmes das atrocidades nos campos) a frente mais ao meio do carro, uma grande câmara de gás, toda transparente, com pessoas nuas, e uma pequena quantidade de fumaça.
A frente do carro, um grande buraco com corpos (bonecos) e soldados em torno.

6° Setor – No sexto setor mostraremos os medos que nossa curiosidade busca, como em filmes ou historias populares

22° Ala: Das crianças (João e Maria) Nossas crianças irão representar a famosa história de João e Maria. As meninas usarão um chapéu rosa claro e um vestido lilás com detalhes de flores rosas, e os meninos, chapéu grande palha, calça com suspensório, e uma camisa xadrez clara.
23° Ala: (Mulheres de preto) Ala composta apenas por mulheres, todas com um grande vestido de época preto brilhante, coberta por um enorme véu, por baixo, pequenas luzes nos rosto pintados, aparentando estarem pálidos. A representação desta ala vem do filme A MULHER DE PRETO.
Mestre Sala e Porta Bandeira: (Zé do Caixão e a Noiva Misteriosa) Nosso mestre sala representara o rei dos filmes de terror no Brasil, fantasia, toda preta, capa e cartola brilhante com detalhes em vermelho sangue. A querida porta bandeira será a noiva misteriosa, famosa lenda do interior de Minas Gerais, que acabou sendo contada no Fantástico no começo dos anos noventa. Toda em branco, com cristais, na cabeça um grande véu e grinalda, e pequenos detalhes em vermelho.
24° Ala: (Palhaço Assassino) Inspirado no filme uma fantasia vermelha e amarela, com manchas de sangue, máscara com maquiagem de palhaço com feições assustadoras, componentes desfilam com grandes machados nas mãos, feito de material leve.
25° Ala: (Anaconda) Ala onde representa uma cobra Anaconda (do filme) o chapéu seria a cabeça da própria Anaconda, fantasia seria muito parecida com a pele da cobra, e uma capa representando a troca de pele, a pele morta da cobra.

6° Carro > (Show de Horrores)


Dos dois lados do carro, teremos (como na foto acima) a transformação do lobisomem. Na parte de trás, grandes esculturas do Godzilla e tiranossauro Rex, junto a eles a máquina com A MOSCA, ao lado um ameaçador predador. No meio do carro, teremos sentada em sua cadeira a boneca Annabelle, em sua volta vários bonecos Chuck, alguns componentes fantasias de Jason, Freddy Krueger, Hellraiser e alguns vestidos como o assassino do filme Pânico. A frente do carro, inspirado no filmes cães assassinos, alguns bonecos com expressões ferozes de cachorros, cobertos de sangue e pedações de pele. Todos elementos do carro com movimento.
7° Setor – No ultimo setor do desfile mostraremos os medos de hoje, os medos e perigos da sociedade atual.

26° Ala: (Black Blocs) Os Black Blocs um dos símbolos da atual guerra urbana no pais estarão nesta ala, fantasia toda preta brilhante, um macacão, com capuz e uma máscara preta com detalhes em brancos. Nas costas mochilas, nas mãos representações de paus e coquetéis molotof. 
27° Ala: Compositores (Políticos FDP) Esta ala representa os políticos ladrões que a cada dia acabam mais com o Brasil roubando, e cada vez trazem o medo de um futuro mais miseráveis para a população. Terno e chapéu todo feito de notas de cem reais, com uma pequena capa feita de dólar.
28° Ala: (Homens bomba) A intolerância religiosa faz muitos acreditarem que sacrificando-se tornaram-se mártires, assim tornando sua religião mais forte, e também mostrando sua liberdade e autonomia por um ideal até mesmo dentro de uma guerra. Fantasia feita de espuma azul, na frente representações de bananas de dinamite, calça azul, turbante branco e uma grande barba.
29° Ala: (Vírus) Guerras virtuais estão sendo travadas contra gênios da informática, eles tem a capacidades de roubar todos nosso dinheiro, identidade, literalmente acabar com nossas vidas. Toda em preto, recortada em tiras, onde vemos em verde limão a palavra SENHA e o símbolo (@) O chapéu seria como um cérebro feito de circuitos de computador.
30° Ala: (Guerra Biológica) Um dos maiores medos atuais, são as guerras biológicas, super potencias a cada ano desenvolvem armas mais poderosas para extermínio em massa. A fantasia seria toda amarela como um grande macacão, com capuz e mascaras de respiração, nas costas tubos de oxigênio.

7° Carro > (As guerras que Vivemos)
No fundo do carro, um grande prédio, dentro dele, a calda de um avião, nas janelas envolta pessoas, um pouco de fumaça, logo a frente uma grande escultura de Osama Bin Laden com o corpo cheio de bombas, a frente dele dois carros de polícia queimados com alguns policiais armados com fardas rasgadas. Nas duas laterais grandes cilindros em LED com números (senhas) contornando toda a parte inferior do carro misseis a frente barris amarelos escrito e com símbolo de perigo e saindo um pouco de fumaça, junto a eles POLITICOS fantasia igual da ala anterior, jogando muito dinheiro pra cima.
                                                       Fontes de Pesquisa

Ø  Revista Isto é – Fascículo: O Medo que nos Fascina (Julho 1997) 
Ø  Trechos da justificativa tirados da matéria
Ø  Citação de Joost A.M. Merloo, psicanalista de origem Holandesa.





Marcadores